Última hora
This content is not available in your region

Parlamento Europeu homenageia vítimas dos atentados de Paris

Parlamento Europeu homenageia vítimas dos atentados de Paris
Tamanho do texto Aa Aa

O minuto de silêncio no hemiciclo de Estrasburgo marcou a homenagem às vítimas dos ataques de Paris. Na primeira sessão plenária do Parlamento Europeu deste ano, o combate ao terrorismo é tema em destaque.

A Comissão Europeia ter garantido que vai estudar todas as formas possíveis, dentro das regras já existentes de aumentar o controlo das fronteiras europeias.

Uma intenção que levanta reservas. Viviane Reding, eurodeputada de centro direita, lembra que “não se podem eliminar direitos individuais por causa dos ataques terroristas que ocorreram. O Tribunal de Justiça já foi claro neste aspecto. Deve existir um equilíbrio entre as necessidades da polícia e de segurança, por um lado, e, por outro, os direitos dos indivíduos, direitos esses que estão inscritos nos Tratados” explica a luxemburguesa.

O eurodeputado britânico, Nigel Farage, não acredita que se vá fazer muito. O eurocéptico disse mesmo que “Já tinha previsto que uma das coisas que ia ser concluída aqui, hoje, era que a União Europeia precisa de mais poder. Esta é uma conclusão lógica que surge na União Europeia sempre que há uma crise”.

Mas a Comissão Europeia disse mesmo que, em última instância, se podem modificar as regras dos acordos de Schengen. A porta-voz de Jean-Claude Juncker, Natasha Bertaud, explicou em Bruxelas que é tempo de “reflexão” e de avaliação das “lições” a tirar dos atentados de Paris.

A questão do combate ao terrorismo vai ser analisado no primeiro debate do novo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, com os eurodeputados, na terça-feira à tarde. Neste debate vai estar também o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.