Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Rio: Polícia pode voltar a ocupar Complexo do Alemão

Rio: Polícia pode voltar a ocupar Complexo do Alemão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de pessoas manifestaram-se, no sábado, nas ruas do Rio de Janeiro contra as mortes e o escalar da violência no Complexo do Alemão.

A Secretaria de Segurança da cidade afirma que o Comando de Operações Especiais da Polícia Militar pode voltar a ocupar aquele conjunto de favelas. Em apenas dois dias morreram quatro pessoas, uma delas um menino de 10 anos.

De acordo com a polícia, a tragédia ocorreu quando, na quinta-feira, os agentes que patrulhavam as ruas foram “recebidos a tiros” por criminosos, uma versão contestada pelos moradores.
“Não pode um garoto de dez anos levar um tiro na cabeça, a mãe ter a massa encefálica a entrar na sala enquanto ela assistia a um programa na televisão e a sociedade não gritar!”, exclama um manifestante.

Para o diretor da Amnistia Internacional no Brasil, Átila Roque, “é preciso romper com o modelo militarizado. É preciso romper com o modelo de uma segurança pública seletiva, que escolhe alguns como cidadãos e outros como não cidadãos, uma segurança pública que criminaliza sobretudo o jovem negro da periferia. Nós não somos contra a polícia. A polícia, de certa forma, é vítima dessa mesma política de segurança.”

Na sexta-feira, durante um protesto pacífico, os manifestantes foram dispersados pelas autoridades que recorreram a gás lacrimogéneo.

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, exigiu já uma investigação e afirmou querer ver os culpados julgados e condenados.