Última hora

Primeiro "hotspot" grego para migrantes abre na ilha de Lesbos

Primeiro "hotspot" grego para migrantes abre na ilha de Lesbos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Entrou em funcionamento, na ilha de Lesbos, o primeiro “hotspot” grego, designação atribuída aos abrigos e centros de registo de imigrantes.

Esta sexta-feira, o comissário europeu para a Imigração, Assuntos Internos e Cidadania, Dimitris Avramopoulos, o ministro grego para a política de migração, o, Iannis Mouzalas, e o chefe da diplomacia luxemburguesa, Jean Asselborn, visitaram o local.

“Estão previstos outros centros como o de Lesbos nas ilhas de Samos, Cós, Leros e Quios, mas cabe à Grécia decidir ter hotspots no continente para acelerar a relocalização. Não cabe à União Europeia”, sublinhou Asselborn.

Na prática, a criação destes centros está pensada principalmente para gerir a triagem entre refugiados e simples migrantes económicos, que deixam os países de origem, mas que poderão ser reenviados para os locais de partida.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.