Última hora

Última hora

"Home Guards" retrata grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas na Hungria

Em leitura:

"Home Guards" retrata grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas na Hungria

"Home Guards" retrata grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas na Hungria
Tamanho do texto Aa Aa

“Home Guards” retrata os grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas, na Hungria.

Queria mostrar a personagem do polícia que, no início, é uma pessoa adorável e carismática, que pode ser um ídolo para os rapazes, e que depois se torna numa pessoa completamente diferente.

A realizadora e argumentista húngara Krisztina Goda quis explorar o tema da manipulação das pessoas.

“Foi uma espécie de curiosidade psicológica que me levou a fazer este filme. Queria mostrar a personagem do polícia que, no início, é uma pessoa adorável e carismática, que pode ser um ídolo para os rapazes e que depois se torna numa pessoa completamente diferente”, afirmou a realizadora.

O filme acompanha dois irmãos desempregados que são recrutados pela polícia para ajudar a combater a criminalidade. Viktor Klem é um dos atores principais.

“Pode ver como somos no início e como ficámos no fim. Rapámos a cabeça. Tal como muitos jovens que têm uma paixão deixámos de ter limites e inimigos, fazemos o que queremos e não queremos saber o que os outros pensam”, sublinhou Viktor Klem.

Com um orçamento de 3,2 milhões de euros, a longa-metragem é uma das produções mais caras do cinema húngaro.

“Home Guards” acaba de chegar às salas de cinema da Hungria e não tem data de estreia prevista em Portugal.

Mais sobre cinema