This content is not available in your region

Jihadistas poderão estar a usar droga que inibe o medo

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura
euronews_icons_loading
Jihadistas poderão estar a usar droga que inibe o medo

A doutrina do autodenominado Estado Islâmico poderá ter um aliado de peso que permite dotar os jihadistas de confiança, frieza de pensamento e resistência para cometer ataques terroristas. Investigadores acreditam que “Captagon”, uma droga produzida até aos anos 80, estará a ser usada pelos terroristas para ajudar a propagar a mensagem de medo e de pânico.

Foi inicialmente usada para tratar depressão, hiperatividade e narcolepsia.

“Captagon é o nome corrente para fenetilina, que é um componente ativo. O cloridrato de fenetilina é metabolizado, transformado em duas drogas, anfetamina e teofilina. As duas drogas são estimulantes centrais. O que [os jihadistas] procuram é um estado de hiper concentração, aumento do desempenho”, explica Bruno De Schuiteneer, especialista clínico na Agência Federal belga para Medicamentos e Produtos de Saúde (FAMHP).

“Captagon” era a marca comercial de cloridrato de fenetilina, agora apelidada de “droga dos jihadistas”. Pode ser ingerida em comprimidos ou consumida por via intravenosa, potenciando os efeitos.

“É relativamente fácil de produzir. Não é necessário um laboratório especializado. Eles [jihadistas] poderão vender Captagon e adicionar elementos. Não é certo que contenha cloridrato de fenetilina como a droga registada. Pode conter cocaína ou outros produtos”, acrescenta Bruno De Schuiteneer.

Seifeddine Rezgui, autor do ataque na zona turística de Sousse, Tunísia, estaria alegadamente, drogado no momento do atentado, de acordo com dados revelados pela autópsia.

Também estão a ser investigadas seringas encontradas no quarto de hotel usado por terroristas antes dos atentados de 13 de novembro, em Paris.