EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Escândalo de Flint chega ao Congresso americano

Escândalo de Flint chega ao Congresso americano
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O escândalo da água contaminada na cidade de Flint chegou ao Congresso americano. O governador do estado do Michigan, o republicano Rick Snyder, e a

PUBLICIDADE

O escândalo da água contaminada na cidade de Flint chegou ao Congresso americano. O governador do estado do Michigan, o republicano Rick Snyder, e a diretora da Agência de Proteção Ambiental, a democrata Gina McCarthy, testemunharam perante uma comissão de inquérito. Snyder foi instado a demitir-se pelos membros democratas, mas o governador preferiu distribuir responsabilidades:

“Ocorreu uma falha de governo a todos os níveis: local, estadual e federal. Defraudámos todas as famílias de Flint. Não se trata de política ou de defender um partido. Não vou apontar o dedo ou afastar as culpas. Há muitas para partilhar mas isso não vai ajudar a população de Flint.”

Os elementos republicanos da comissão pressionaram Gina McCarthy à demissão. Muitos habitantes de Flint deslocaram-se a Washington para fazer ouvir as suas reivindicações:

“Podemos ir a uma loja de ferragens e comprar tinta sem chumbo. Podemos ir a uma estação de serviço e comprar gasolina sem chumbo. Mas quando abrimos as torneiras em Flint não temos água sem chumbo. Nós queremos água sem chumbo.”

Em abril de 2014 a administração do Michigan decidiu abastecer a rede local com água do rio de Flint, para poupar dinheiro. Mas o curso de água está tão poluído que as condutas em chumbo foram corroídas e a população exposta ao saturnismo. A ligação só foi cortada em outubro do ano passado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem que recebeu rim de um porco teve alta hospitalar

ONG Mares Saudáveis recolhe toneladas de resíduos em "explorações fantasma" na costa grega

Incêndio de grandes proporções afeta empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk