EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Tusk acusa Rússia de querer enfraquecer a Europa

Tusk acusa Rússia de querer enfraquecer a Europa
Direitos de autor 
De  Nara Madeira com LUSA, EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No final do primeiro dia de trabalhos da cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, que decorre em Bruxelas, Donald Tusk explicou que houve “uma ampla discussão sobre a…

PUBLICIDADE

No final do primeiro dia de trabalhos da cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, que decorre em Bruxelas, Donald Tusk explicou que houve “uma ampla discussão sobre a Rússia”.

Segundo o Presidente do Conselho Europeu os líderes dos 28, entre os quais esteve a Primeira-ministra britânica e o seu homólogo português, António Costa, têm noção das intenções da Rússia, mas garantiu que o bloco europeu manterá a sua unidade face a Moscovo:

“Os líderes enfatizaram todo o tipo de iniciativas russas,:desde as violações de espaço aéreo, às campanhas de desinformação, os ciberataques e as interferências nos processos políticos na UE. Bem como as ferramentas híbridas nos Balcãs em relação aos desenvolvimentos sobre a investigação à queda do voo MH17. Dados estes exemplos, fica claro que a estratégia da Rússia é enfraquecer a Europa”, adiantou Donald Tusk.

Apesar de todas estas conclusões, e ainda que para Merkel a questão não seja pacífica, o presidente do Conselho Europeu diz que não há margem para mais sanções a Moscovo:

“Aos meus olhos não há espaço para sanções adicionais, para isso é preciso unanimidade. Mas também não há espaço para o levantamento das sanções, e isso parece-me correto. Enquanto o acordo de Minsk não for, inteiramente, implantado não devemos levantar as sanções”, afirmou Martin Schulz.

Enquanto Theresa May garantiu que ativará o artigo 50 antes do final de março, a questão do acordo entre União Europeia e Canadá, CETA, continua a dar que falar. Para que a Bélgica aceite o tratado de livre comércio é precisa a aprovação de todas as regiões do país mas há uma que não está pelos ajustes:

“De acordo com a comunicação social os Estados-membros da União Europeia estarão prontos para dar novas garantias a Valónia, para que esta região belga aceite o acordo entre a Europa e o Canadá. As conversações decorrem ao nível dos embaixadores, se houver acordo os responsáveis do estado e do governo aprová-lo-ão na sexta-feira.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Renew Europe pode sofrer uma perda brutal de deputados nas eleições europeias

János Bóka: "A Europa precisa ter algum tipo de relação com a Rússia"

Reino Unido vai "redefinir" relações com a UE, promete Starmer