EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Polícia encerra mesquita frequentada por terrorista de Berlim

Polícia encerra mesquita frequentada por terrorista de Berlim
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Segundo as autoridades, a mesquita servia de base de recrutamento a jovens, na maioria turcos e caucasianos, para se alistarem no Daesh. Recolhia também doações para os combatentes na Síria.

PUBLICIDADE

A polícia alemã encerrou a mesquita que o autor do ataque de Berlim, no Natal, costumava frequentar. A associação Fussilet 33, que geria a mesquita, foi ilegalizada.

Ao todo, a polícia fez buscas em 24 edifícios relacionados com esta associação, uma operação que envolveu 460 agentes. O debate para ilegalizar esta organização, devido aos laços com o salafismo, uma corrente radical do Islão, tinha começado em 2015, mais de um ano antes do ataque mortífero do último natal, levado a cabo por um jovem tunisino, Anis Amri.

Nach amtlichem Verbot des Vereins “Fussilet 33 eV” durchsuchen wir derzeit in Amtshilfe mit ca. 460 Kolleg. 24 Objekte in #Berlin.
^tsm

— Polizei Berlin (@polizeiberlin) 28. Februar 2017

Segundo as autoridades, esta mesquita servia de base de recrutamento a jovens, na maioria turcos e caucasianos, para se alistarem no Daesh. Recolhia também doações para os combatentes na Síria.

O ataque de 19 de dezembro foi o mais mortífero dos últimos anos, na Alemanha. 12 pessoas morreram no mercado de natal de Berlim, atropeladas pelo camião conduzido por Amri. O jovem radical seria abatido pela polícia quatro dias depois em Milão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

No Museu da Comida Nojenta em Berlim há iguarias para (mesmo) todos os gostos

Polícia alemã disparou contra mulher barricada em quarto de hospital

Detido na Alemanha um dos três membros da Fação do Exército Vermelho