Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

A carreira de Harvey Weinstein em xeque

A carreira de Harvey Weinstein em xeque
Tamanho do texto Aa Aa

Harvey Weinstein, um dos produtores mais conhecidos e influentes de Hollywood, foi obrigado a abandonar a empresa que fundou devido a assédios sexuais que supostamente levou a cabo.

O conselho de administração da Weinstein decidiu retirar o produtor da empresa, deixando o controlo do estúdio nas mãos do seu irmão, Bob Weinstein, e do diretor de operações David Glasser.

A carreira de Weinstein foi abalada por um devastador artigo do jornal The New York Times, segundo o qual o produtor alcançou, durante décadas, uma série de acordos extrajudiciais para pôr termo a denúncias de assédio sexual.

Entre elas figuram acusações de abusos sexuais por parte da atriz Ashley Judd, conhecida pelo filme “Frida” ou pela saga “Divergente”.

As acusações remontam à década de 1990. A investigação do New York Times basea-se em dezenas de testemunhos que facultaram detalhes sobre o comportamento do produtor.

Num comunicado enviado ao jornal, o produtor admitiu que a forma como se comportou no passado com companheiras de trabalho provocou muitos danos, pelo que pediu perdão e uma segunda oportunidade.