A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Alemanha e China assinalam os 200 anos de Karl Marx

Imagem de Karl Marx no Grande Palácio do Povo na China
Imagem de Karl Marx no Grande Palácio do Povo na China
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A China também quis assinalar a efémeride e ofereceu à cidade natal de Marx uma estátua do filósofo com 5 metros de altura e duas toneladas de peso.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker também participou nas celebrações e lembrou que o filósofo não tem culpa dos crimes que os seguidores cometeram décadas depois de ter morrido.

"Karl Marx foi um filósofo que pensava o futuro e tinha aspirações criativas, e hoje é acusado de coisas das quais não é responsável e que não causou. Muito do que escreveu foi entretanto reescrito em sentido contrário aos das suas ideias".

O bicentenário do nascimento do filósofo alemão foi também lembrado de forma oficial na China, numa sessão solene no Grande Palácio do Povo em que participou o Presidente Xi Jinping. O chefe de estado chinês considerou Marx "um guia da Humanidade" e disse que "Marx foi o mentor da revolução do proletariado e dos trabalhadores por todo o mundo. Inspirou o Marxismo, foi o criador do comunismo internacional e é o maior pensador da era moderna."

Na Alemanha ou na China estão previstos vários eventos comemorativos do bicentenário do nascimento de Karl Marx, autor de clássicos como o "O Capital" ou "O Manifesto Comunista".