Última hora

Última hora

Ativistas expulsos à força da Floresta de Hambach

Em leitura:

Ativistas expulsos à força da Floresta de Hambach

Ativistas expulsos à força da Floresta de Hambach
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos trinta ativistas foram detidos, na noite de sábado para domingo, pelas forças de segurança alemãs, na floresta de Hambach.

O local, que fica a 50km da cidade de Colónia, está a ser ocupado desde 2012 por manifestantes que estão contra a extração de lignito de uma mina de carvão ali situada.

"Queríamos entrar e fazer uma ação de desobediência civil e, assim, párar o corte de árvores", disse uma das ativistas à Euronews, que está no terreno a acompanhar a ação policial.

As forças de autoridade alemãs já avançaram para o terreno na quinta-feira, num confronto que tem sido violento.

Segundo aquilo que a Euronews conseguiu testemunhar, muitos dos ativistas foram "arrancados" à força da floresta. Há já registo de nove manifestantes com ferimentos.

Publicação do jornalista da Euronews

Não se sabe ao certo quantos ativistas ocupam a floresta, mas sabe-se que o objetivo da polícia é destruir as 60 casas que foram ali construídas nas árvores, pelos próprios ativistas, para evitar a desflorestação.

Durante os últimos seis anos, a ocupação em Hambach acabou por ser permitida pelas autoridades, embora com avisos constantes de despejo. Esta ação policial é a primeira em seis anos.

A floresta milenar de Hambach tem 12 mil anos e 85km quadrados. Cerca de metade do terreno já foi explorada pela indústria mineira.

Publicação feita por um ativista, o último a ser retirado de Hambach

Mas nem toda a gente está contra a exploração. As pessoas que vivem nas vilas e nas cidades perto da floresta, têm beneficiado da parte positiva que a indústria tem trazido: emprego.

A Euronews falou com uma testemunha local que perdeu o marido na exploração mineira de Hambach. Apesar de viúva, concorda que a exploração continue. "Enquanto houver carvão, ou '"ouro negro", como lhe chamamos, deve continuar a ser explorado.", admitiu à Euronews.

Jornalista da Euronews a entrevistar viúva de trabalhador da empresa que explora lignito na Floresta de Hambach

Há 21 mil empregos ligados à exploração de carvão na Alemanha. O país tem a meta de reduzir a emissão de CO2, compromisso que foi feito no Acordo de Paris.