Última hora

Projeto japonês para conservar os tesouros do Egito

Projeto japonês para conservar os tesouros do Egito
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Japão não é apenas um dos principais parceiros financeiros do Grande Museu Egípcio, desempenha também um papel fundamental na preservação e restauração dos antigos tesouros do Egito que serão aqui guardados.

Este é um lugar único, com mais de 50 mil metros quadrados e cerca de 100 mil artefactos.

Aqui poderá admirar pela primeira vez, a totalidade do fabuloso tesouro de Tutankhamon descoberto em 1922. Tutankhamon, o faraó que reinou sobre o reino do Egito durante a sua era dourada, há mais de três mil anos.

No antigo museu, no centro do Cairo, uma caixa com um mural de quatro mil anos está prestes a ser transferida. Vai ser levada para o novo Centro de Conservação do museu.

É um dos 72 artefactos antigos que fazem parte de um projeto da JICA, a Agência de Cooperação Internacional do Japão.

É vital que esta pintura inestimável não seja danificada.

Especialistas japoneses em transporte supervisionam esta delicada operação. Treinaram os seus colegas egípcios e forneceram-lhes habilidades e ferramentas que antes não existiam aqui.

A missão é cumprida sem sobressaltos. A antiguidade foi transportada em segurança para o centro de conservação.

A primeira coisa que os especialistas japoneses fizeram foi treinar mais de 2.200 pessoas, principalmente usando réplicas.

Desde 2016, japoneses e egípcios trabalham juntos em artefactos genuínos.

Camas e charretes são algumas das antiguidades selecionadas. Fazem parte do tesouro de Tutankhamon.

No laboratório especializado em madeira foram utilizados scanners 3D japoneses, equipamento precioso para os cientistas. Permitiram identificar os tipos de madeira usados nas diferentes peças.

Um trabalho que resultou também na ideia de criar uma biblioteca para listar os diferentes tipos de madeira que foram usados ​​no antigo Egito.

O representante da JICA, no Cairo, considera que o projeto foi um grande sucesso. Não apenas na preservação dos inestimáveis tesouros egípcios mas também tendo em perspetiva os enormes benefícios económicos que se espera que tragam ao país.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.