Última hora

Última hora

Jornada de greve na Bélgica

Jornada de greve na Bélgica
Tamanho do texto Aa Aa

Os sindicatos apelaram à greve nacional e os efeitos fizeram-se sentir em toda a Bélgica. Transportes, administração pública, supermercados e escolas compareceram à chamada. Os trabalhadores reclamam, acima de tudo, melhores remunerações mas também melhores reformas e condições laborais.

As palavras de ordem, reproduzidas à escala nacional, têm eco em outros Estados-membros. A contestação social é transversal na Europa ainda que as reivindicações possam variar um pouco entre países, como explicou, em entrevista à Euronews, o secretário-geral da Confederação Europeia de Sindicatos, Luca Visentini: "No norte e centro da Europa, à semelhança da Bélgica, por exemplo, exigem-se aumentos salariais. No sul existiam sistemas de negociação coletiva muito fortes e bons desenvolvimentos salariais mas tudo mudou com a intervenção da 'troika' em alguns países e com as políticas de austeridade. Tudo isto desmantelou os sistemas de relacionamento industrial existentes."

De acordo com a Confederação Europeia de Sindicatos na última década assistiu-se a cortes salariais reais em pelo menos 30%. Uma situação pior do que em 2008.