Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": NATO, fundos, família e TJUE

"Breves de Bruxelas": NATO, fundos, família e TJUE
Tamanho do texto Aa Aa

A suspensão do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio continua no topo da agenda das reuniões da NATO, com o secretário-geral, Jens Stoltenberg, a enviar uma mensagem a Moscovo, quinta-feira, a partir de Washington (EUA).

"Pedimos à Rússia que volte a respeitar um tratado que tem sido tão importante para a segurança europeia", disse Stoltenberg.

O eventual colapso deste tratado, assinado entre EUA e a ex-União Soviética em 1988, pode conduzir ao regresso do clima da Guerra Fria e da corrida as armas.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Parlamento Europeu aprovou, quinta-feira, uma proposta para congelar fundos comunitários aos governos dos Estados-membros da União Europeia que interfiram com a independência dos tribunais ou não combatam ativamente a corrupção. Um dos fundos em causa é o da coesão, que ajuda os países a criarem infra-estruturas que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos.

  • O Parlamento Europeu adotou, quinta-feira, novas regras para facilitar a conciliação entre trabalho e vida familiar. Os eurodeputados fixaram períodos mínimos das licenças para pais e encarregados de educação, bem como para cuidadores de idosos ou de outras pessoas com necessidades de especiais de acompanhamento.

  • As companhias aéreas não têm obrigação de compensar os passageiros em caso de atraso do voo se houver circunstâncias extraordinárias, nomeadamente o caso de um pneu do avião furado por um parafuso deixado na pista. A decisão foi anunciada, quinta-feira, pelo Tribunal de Justiça da União Europeia. A queixa tinha sido apresentada por um cliente da companhia aérea alemã Germanwings, que se recusou a pagar uma indemnização.