Última hora

Última hora

Bashar Al-Assad a quatro mãos vence World Press Cartoon 2019

Bashar Al-Assad a quatro mãos vence World Press Cartoon 2019
Tamanho do texto Aa Aa

São para refletir, sorrir, rir ou talvez chorar... Estamos a falar dos desenhos expostos no World Press Cartoon, nas Caldas da Rainha, em Portugal. A exposição foi inaugurada a 4 de Maio, logo após a Gala de entrega de prémios.

Um tema, em particular, começa a ganhar relevo: a questão ambiental - cada vez mais patente nos desenhos que marcaram 2018.

"A poluição, a ecologia, o aquecimento global - que são faces da mesma moeda - estão cada vez mais presentes. Estes cartoons representam um aumento da sensibilidade da população em geral e dos cartoonistas também, Depois há os temas clássicos - digamos assim - da política, com o Trump, o Putin a marcarem muito a agenda política, que depois transparece aqui na exposição", explica o cartoonista e diretor do World Press Cartoon António Antunes.

A provar que os temas políticos clássicos continuam a dar cartas, os vencedores do Grand Prix, Javier Carbajo e Sara Rojo, conquistaram os 10 mil euros do prémio graças a uma caricatura de Bashar Al-Assad - feita a quatro mãos! Um trabalho de equipa que é algo raro no mundo do cartoon:

"Não é habitual. Normalmente, é algo que se faz sós. Mas nós gostamos de trabalhar juntos. Já trabalhámos juntos noutros projectos. Relativamente a esta caricatura, tivémos muito tempo para fazê-la e é uma personagem que nos interessa pessoalmente."

A Síria, mas também Jamal Khashoggi - o jornalista saudita assinado na Turquia -, a questão das migrações, a eleição de Bolsonaro ou o Brexit foram alguns dos temas que inspiraram os cartoonistas.

Ao todo, participaram na competição mais de 900 obras, publicadas na imprensa de 68 países. A seleção dos melhores trabalhos foi feita por um júri internacional, composto, este ano, pelos cartoonistas Maria Picassó (Espanha), Óscar Grillo (Argentina), Cássio Loredano (Brasil), pelo designer Manuel Peres (Portugal) e pelo director do certame, o cartoonista português António Antunes.

Júri que atribuiu o primeiro prémio do Cartoon Editorial a um desenho sobre Cuba, da autoria de Ramsés.

"Com as mudanças que estamos a viver, ocorreu-me a ideai de colocar Cuba na oficina: [os mecânicos] estão a trabalhar, mas ainda não terminaram. Há muitas gerações que estamos ansiosamente `à espera das mudanças e também estamos a trabalhar para melhorar a nossa terra, a nossa amanda ilha", explica o desenhador cubano, residente na Suíça.

As questões de sociedade, como os escândalos de pedofilia na Igreja ou a dependência informática e o ritmo alucinante a que se vive hoje em dia, foram outros dos temas que marcaram o ano de 2018.

Na categoria de Desenho de Humor, o júri deixou-se seduzir por um cartoon de Boligán, cubano radicado no México. Com o título de "Recarga", o desenho é uma apologia da sesta e da desaceleração, como admite o desenhor: "À primeira vista è apenas um desenho de humor mas reflete a sociedade em que vivemos, Tento comparar o ser humano com a tecnologia, com os telemóveis, que, que, às vezes, necessitam de uma recarga de 10 minutos para continuar. Nós, às vezes, também precisamos de descanso."

A 14.ª edição do World Press Cartoon está patente no Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha. São 280 cartoons de cartoonistas do mundo inteiro, que retratam o ano de 2018. Para ver até 28 de Julho.