Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Bashar Al-Assad a quatro mãos vence World Press Cartoon 2019

Bashar Al-Assad a quatro mãos vence World Press Cartoon 2019
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

São para refletir, sorrir, rir ou talvez chorar... Estamos a falar dos desenhos expostos no World Press Cartoon, nas Caldas da Rainha, em Portugal. A exposição foi inaugurada a 4 de Maio, logo após a Gala de entrega de prémios.

Um tema, em particular, começa a ganhar relevo: a questão ambiental - cada vez mais patente nos desenhos que marcaram 2018.

"A poluição, a ecologia, o aquecimento global - que são faces da mesma moeda - estão cada vez mais presentes. Estes cartoons representam um aumento da sensibilidade da população em geral e dos cartoonistas também, Depois há os temas clássicos - digamos assim - da política, com o Trump, o Putin a marcarem muito a agenda política, que depois transparece aqui na exposição", explica o cartoonista e diretor do World Press Cartoon António Antunes.

A provar que os temas políticos clássicos continuam a dar cartas, os vencedores do Grand Prix, Javier Carbajo e Sara Rojo, conquistaram os 10 mil euros do prémio graças a uma caricatura de Bashar Al-Assad - feita a quatro mãos! Um trabalho de equipa que é algo raro no mundo do cartoon:

"Não é habitual. Normalmente, é algo que se faz sós. Mas nós gostamos de trabalhar juntos. Já trabalhámos juntos noutros projectos. Relativamente a esta caricatura, tivémos muito tempo para fazê-la e é uma personagem que nos interessa pessoalmente."

A Síria, mas também Jamal Khashoggi - o jornalista saudita assinado na Turquia -, a questão das migrações, a eleição de Bolsonaro ou o Brexit foram alguns dos temas que inspiraram os cartoonistas.

Ao todo, participaram na competição mais de 900 obras, publicadas na imprensa de 68 países. A seleção dos melhores trabalhos foi feita por um júri internacional, composto, este ano, pelos cartoonistas Maria Picassó (Espanha), Óscar Grillo (Argentina), Cássio Loredano (Brasil), pelo designer Manuel Peres (Portugal) e pelo director do certame, o cartoonista português António Antunes.

Júri que atribuiu o primeiro prémio do Cartoon Editorial a um desenho sobre Cuba, da autoria de Ramsés.

"Com as mudanças que estamos a viver, ocorreu-me a ideai de colocar Cuba na oficina: [os mecânicos] estão a trabalhar, mas ainda não terminaram. Há muitas gerações que estamos ansiosamente `à espera das mudanças e também estamos a trabalhar para melhorar a nossa terra, a nossa amanda ilha", explica o desenhador cubano, residente na Suíça.

As questões de sociedade, como os escândalos de pedofilia na Igreja ou a dependência informática e o ritmo alucinante a que se vive hoje em dia, foram outros dos temas que marcaram o ano de 2018.

Na categoria de Desenho de Humor, o júri deixou-se seduzir por um cartoon de Boligán, cubano radicado no México. Com o título de "Recarga", o desenho é uma apologia da sesta e da desaceleração, como admite o desenhor: "À primeira vista è apenas um desenho de humor mas reflete a sociedade em que vivemos, Tento comparar o ser humano com a tecnologia, com os telemóveis, que, que, às vezes, necessitam de uma recarga de 10 minutos para continuar. Nós, às vezes, também precisamos de descanso."

A 14.ª edição do World Press Cartoon está patente no Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha. São 280 cartoons de cartoonistas do mundo inteiro, que retratam o ano de 2018. Para ver até 28 de Julho.