A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

UE não alinha com EUA na questão do ataque aos petroleiros

UE não alinha com EUA na questão do ataque aos petroleiros
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia tenta deitar água na fervura, numa altura de tensão entre os Estados Unidos e o Irão, depois de mais dois petroleiros terem sido atacados na semana passada, desta vez no Golfo de Omã. Os Estados Unidos e o Reino Unido apontam o dedo a Teerão, mas Bruxelas recusa-se a alinhar com Washington e Londres.

"O Irão ainda está a cumprir e nós esperamos que o Irão continue a cumprir os seus compromissos. E eu não entraria de todo num jogo de culpas. Vocês conhecem-me. O nosso interesse é manter o acordo nuclear", disse a Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Federica Mogherini.

A Organização Iraniana de Energia Atómica anunciou esta segunda-feira que vai ultrapassar o limite de reservas de urânio enriquecido estabelecido no acordo nuclear. "A partir do dia 27 de junho, vamos ultrapassar o limite de 300 quilos. Vamos também ser capazes de aumentar a taxa de baixo enriquecimento, no nível de 3.67", disse o porta-voz desta organização, Behrouz Kamalvandi.

O acordo nuclear foi assinado em 2015 pelo Irão, China, França, Reino Unido, Rússia, Alemanha e Estados Unidos, mas Washington abandonou o acordo no ano passado.