A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Migração provoca debate inflamado no Parlamento Europeu

Migração provoca debate inflamado no Parlamento Europeu
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nadar pela vida em alto mar. Aproximadamente 700 migrantes morreram no Mediterrâneo este ano, quando tentavam fazer a viagem até à Europa, à procura de uma vida melhor. A crise humanitária continua e Itália continua a impedir que os navios atraquem nos portos do país.

Este tema provocou um debate inflamado numa das primeiras sessões do recém-eleito Parlamento Europeu. Mas o partido do vice-primeiro ministro italiano Matteo Salvini sente-se abandonado_: "a verdade é que apenas nosso governo e nosso ministro Matteo Salvini, com grande coragem e contra todos os insultos, estão a tentar impedir o tráfico humano e a imigração ilegal, salvando vidas"_, disse a eurodeputada italiana Annalisa Tardino.

O governo italiano tem processos criminais em andamento contra capitães de ONGs que salvam migrantes. É o caso da alemã Carola Rackete, a capitã do navio Sea Watch 3.

A nova presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, promete um novo acordo sobre a migração. A Alemanha sugere que os países da UE assinem um acordo não vinculativo, onde prometem receber migrantes, mas os observadores dizem que é preciso chegar a um compromisso legal.

A Finlândia assume a presidência das reuniões de ministros da UE e promete fazer da migração uma questão importante da agenda. O número de pessoas que chegam às costas da Europa diminuiu drasticamente no ano passado, mas os conflitos sobre o que fazer aos migrantes que chegam continuam.