A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Produtores europeus de leite protestam

Produtores europeus de leite protestam
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Dez anos depois da manifestação que juntou mais de 500 produtores de leite em Bruxelas, em protesto contra os preços, as queixas continuam.

Na época, os produtores belgas pulverizara m três milhões de litros de leite no mesmo campo onde se manifestaram esta segunda-feira.

"Estamos exatamente na mesma situação que os produtores de leite há dez anos, quando já não tinham quotas e tinham de trabalhar abaixo dos custos de produção. Estavam a perder dinheiro a produzir leite", assegura o agricultor Jean-Jo Rigo.

Cerca de 600 tratores provenientes da Bélgica, França, Alemanha, Luxemburgo e Holanda fizeram parte da marcha de protesto. Os produtores querem de volta as quotas de produção, na esperança de que levem a um aumento dos preços.

O jornalista da euronews, Jack Parrock, relata que "a diferença entre este protesto e o de há dez anos é que não foi apenas os produtores de leite que trouxeram tratores. Vieram suinicultores, produtores de bovinos, ovinos e agricultores que estão descontentes com os preços".

Os agricultores dizem que os acordos comerciais da União Europeia com o Canadá e com o Mercosul estão a inundar os mercados europeus.

Dizem que os cidadãos devem boicotar todos os produtos importados e só fazer compras a nível local.

"A política agrícola europeia é a única política que está totalmente integrada na União Europeia, e além disso, é usada pelos negociadores comerciais europeus como alavanca nos tratados internacionais", afirma o dirigente da FUGEA (Federação Unida de Grupos de Criadores e Agricultores), Hugues Falys.

A Comissão Europeia lançou, recentemente, um conjunto de medidas destinadas a reforçar a transparência, em matéria de preços dos produtos.

Os produtores dizem que se não forem tomadas mais medidas para apoiá-los, quando a política agrícola da União for renovada depois de 2020, continuarão a olhar para os políticos com azedume.