Última hora
This content is not available in your region

Festival de Cinema de Londres abre com adaptação de Charles Dickens

euronews_icons_loading
Festival de Cinema de Londres abre com adaptação de Charles Dickens
Tamanho do texto Aa Aa

A honra da abertura da 63.ª edição do Festival de Cinema de Londres coube a um filme da casa, "The Personal History of David Copperfield". A adaptação do célebre romance de Charles Dickens conta com Dev Pattel no principal papel.

O ator inglês, que saltou para a ribalta em 2008 com a interpretação no filme "Quem quer ser milionário", não poupa nos elogios:

"É uma história brilhante, uma história de família universal. Penso que manteve todo o seu espírito original, manteve o seu belíssimo humor com uma mensagem de esperança, é uma espécie de hino à humanidade."

O filme foi realizado por Armando Iannucci, que se manteve fiel à temática da obra-prima da literatura:

"Os temas que trata são atuais, a ansiedade social, o estatuto na sociedade, a amizade, perguntas como "serei descoberto?" ou "estarei a agir corretamente?". Depois há temas maiores como a pobreza, a dívida, o problema dos sem-abrigo e a gestão que fazemos da vida."

O Festival de Cinema de Londres é marcado pelo multiculturalismo, com representantes de 78 países entre as duas centenas de filmes em exibição, entre os quais Portugal e Brasil, mas o filme de abertura acaba por revelar a tendência da organização: a aposta nos filmes britânicos.

A Diretora do Festival de Cinema de Londres, Tricia Tuttle, partilha a satisfação por ver o festival abrir com um filme britânico bastante forte, que irá dar que falar por todo o mundo, acrescentando que estávamos perante uma geração muito forte de cineastas, com vontade de deixar a marca e apresentar uma voz distinta logo nos primeiros filmes.

Um dos momentos mais aguardados está reservado para o encerramento do festival, a treze de outubro: a estreia internacional de The Irishman, filme de Martin Scorsese que volta a juntar no grande ecrã Robert De Niro, Al Pacino, Harvey Keitel e Joe Pesci.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.