Última hora

O impulso das atividades portuárias para o crescimento do Egito

O impulso das atividades portuárias para o crescimento do Egito
Tamanho do texto Aa Aa

Em 2011, a tempestade política que ficou conhecida como "Primavera Árabe" foi uma força que ameaçou fazer descarrilar, literalmente, algumas conquistas económicas conseguidas ao longo de anos. O alvoroço espalhou-se para o Egito, a partir da Tunísia, onde tudo começou.

Oito anos depois, os investidores olham para o futuro com o foco comum de melhorar a vida dos egípcios. O porto Ein El Sokhna é um enclave económico e comercial livre e um projeto conjunto de dois gigantes. A Autoridade do Canal de Suez e a operadora portuária global DP World estão em movimento para impulsionar o investimento estrangeiro no terreno.

"A maior parte das indústrias que vêm investir em Sokhna já estabeleceram satélites aqui. Isso facilita as operações. É por isso que Sokhna se destaca como um hub com 87 indústrias. Continua a crescer para se tornar uma das maiores portas de entrada para África", sublinhou, em entrevista à Euronews, Ajay Kumar Singh, diretor-executivo da DP World Sokhna.

A zona do porto está a 120 quilómetros de distância do Cairo. Mas as boas ligações rodoviárias garantem a fácil acessibilidade, para chegar aos 18 milhões de consumidores da cidade. Muitas pessoas depositam as esperanças no valor da experiência da DP World para ter em mãos bens e serviços no dia-a-dia.

"Os indicadores macroeconómicos do Egito, incluindo o crescimento do comércio, estabilizaram nos últimos anos. O país faz parte do Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA), o que lhe garante uma força significativa para fazer negócios no continente africano. O país também se está a converter num centro de distribuição para toda a África. Iniciou-se recentemente uma ligação com serviços que ligam Sokhna e o leste africano, Mombaça e Dar Es Salaam. Pontos estratégicos para o país", acrescentou Ajay Kumar Singh.

Egito, um país no encalço do crescimento

A economia egípcia tem vindo a crescer rapidamente depois da revolução. Entre julho e setembro deste ano, no terceiro trimestre, a taxa de crescimento fixou-se nos 5,6%.

O país espera um crescimento do PIB de 6% no ano fiscal 2019/2020 que começou em julho. No último ano fiscal registou-se um crescimento de 5,6%.

Em 2016, o Governo egípcio começou a implementar reformas cruciais para estabilizar a economia e restaurar a confiança face aos desequilíbrios macroeconómicos.

A Savola Sugar Company é uma das indústrias que recorre com frequência do porto DP World Sokhna. O executivo estabeleceu estruturas que servem de apoio a empresas como a Savola, para alcançar mercados locais e externos.

"Exportamos açúcar branco. Cerca de 400 mil toneladas de açúcar na região. A localização em Sokhna, ao longo do Mar Vermelho, dá-nos acesso a mercados no leste e no Corno de África. Com a capacidade logística da DP World conseguimos chegar a mercados no leste do Mediterrâneo e no norte de África. É uma grande vantagem para nós. Temos vantagens na importação de açúcar em bruto e na exportação de açúcar refinado", explicou Sherif Abdeen, gestor na Savola Foods.

O porto Ein El Sokhna tem duas bacias que movimentam cargas. A primeira tem uma capacidade de 945 mil TEU (unidade equivalente a 20 pés), com 75 % de utilização.

A segunda bacia tem capacidade de 750 mil TEU. O porto também tem uma capacidade de 4,8 toneladas e em 2018 registou mais de 4 milhões de toneladas. Trata-se de uma das principais fontes de emprego na região. A DP World empregou mais de mil pessoas que recebem preparação continua, em nome da eficiência operacional.

"A política de diversidade da empresa é particularmente interessante para as mulheres progredirem numa indústria tradicionalmente dominada por homens", sublinhou Alia El Gammal, gestora comercial no porto DP World Sokhna.

Mohamed Radwan, gestor no terminal de carga e granel na mesma empresa, acrescentou: "Tive a oportunidade de receber a melhor formação de desempenho nas operações gerais de carga e manuseio de granéis de todo o país."

Michael Oduor, Euronews - O Egito está empenhado em receber investimento estrangeiro para melhorar o clima de negócios e beneficiar a economia nacional. A operadora portuária global DP World posicionou-se no coração dos objetivos do Governo, melhorando a entrega dos serviços portuários e favorecendo, ao mesmo tempo, as empresas egípcias.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.