Última hora

Uma mão amputada numa animação de sucesso

Uma mão amputada numa animação de sucesso
Tamanho do texto Aa Aa

Uma mão amputada escapa de um laboratório com um único objetivo: encontrar o resto do seu corpo. Está dado o mote para o filme de animação francês "J'ai Perdu Mon Corps", baseado num livro escrito por Guillaume Laurent, o argumentista da multigalardoada longa-metragem "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain".

O filme realizado por Jérémy Clapin teve dificuldades para encontrar financiamento, mas está a tornar-se num fenómeno de sucesso.

Jérémy Clapin, realizador: "Desde o início, pensei num filme para adultos, não queria uma escrita infantil, o que se traduz numa linguagem gráfica distinta. É preciso sair desses códigos infantis, que vemos nas séries dirigidas a crianças. Queria arrancar com algo em bruto. É verdade que é uma personagem difícil de entender, esta mão cortada, e ninguém acreditava que uma personagem destas conseguiria agarrar os espetadores à história."

Marc du Pontavice, produtor: "Demorámos vários anos para o financiar, foi muito complicado. Quando não arranjamos o dinheiro, mas temos a convicção de que temos em mão um grande filme, seguimos em frente. A certa altura, faltava metade do orçamento, mas o estúdio Xilam pôs o dinheiro na mesa, porque queriamos ir até ao fim e não ficar a meio do caminho."

O filme recebeu o Grande Prémio da Semana da Crítica no Festival de Cannes, foi também recompensado no Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy, e é um sério candidato aos Prémios do Cinema Europeu e ao Óscar para o melhor filme de animação.

Depois de ter feito uma digressão de sucesso por vários festivais na Europa e nos Estados Unidos, o filme acaba de estrear nos grandes ecrãs em França e será distribuído a nível mundial pela Netflix a partir do fim do mês.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.