Última hora

Boeing 737 MAX espera "ok" para voltar aos céus

Boeing 737 MAX espera "ok" para voltar aos céus
Tamanho do texto Aa Aa

O 737 MAX da Boeing esteve no centro das atenções no Festival Aéreo do Dubai, com várias companhias aéreas a anunciarem planos para encomendar até 50 aeronaves, um negócio no valor de mais de cinco mil milhões de euros.

Entre os compradores está a Air Astana, do Cazaquistão, que se propõe aposta na Boeing e comprar 30 destes aviões para a sua subsidiária FlyArystan:

"Estamos a assinar uma carta de intenções, com a empresa Boeing, que será a principal fornecedora de aviões para a nossa nova companhia aérea, a FlyArystan, que está há pouco mais de seis meses em atividade", anuncia Alma Aliguzhinova, da Air Astana.

O 737 MAX da Boeing saiu dos ares após dois acidentes fatais que levaram os reguladores a proibirem voos comerciais daquela que foi a aeronave mais vendida da marca em março. Os planos para o seu retorno ao serviço comercial foram adiados para o início de 2020, quando estiverem terminadas as revisões de software e os testes necessários para a aprovação.

"O avião regressará quando a Autoridade Federal de Aviação e outros reguladores globais, em todo o mundo, nos disserem que é seguro", explica Charlie Miller, da Boeing.

A Boeing espera obter certificação da Autoridade Federal de Aviação em dezembro, o que lhes permitirá começar a entregar aviões.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.