Última hora

Filme macedónio conquista Prémio Lux

Filme macedónio conquista Prémio Lux
Tamanho do texto Aa Aa

O filme macedónio "God exists, her name is Petrunya", conquistou o prémio cinematográfico Lux atribuído pelo parlamento europeu.

A obra, da realizadora Teona Strugar, deixou para trás os outros dois finalistas, um filme espanhol ("The Realm de Rodrigo Sorogoyen) e um documentário dinamarquês ("Cold Case Hammarskjöld" de Mads Brügger.

O anúncio do vencedor da décima-terceira edição do prémio foi feito pelo presidente do parlamento europeu, David Maria Sassoli, em Estrasburgo.

"Sou sempre criticada pelos políticos da Macedónia porque os meus filmes são sempre de caráter político e isso é verdade. Enquanto autora interesso-me pelos desvios na sociedade. Acho que tenho o dever de expressar a minha opinião e falar sobre problemas que ninguém quer falar. Como podemos construir um futuro melhor se não ousarmos?" interrogou a realizadora Teona Strugar Mitevska no discurso que se seguiu ao anúncio do prémio.

O filme conta a história de uma jovem de 32 anos de idade, ligeiramente obesa e que vive numa pequena aldeia, está desempregada e frustrada com a vida. Um dia, durante uma festa religiosa ortodoxa na qual é costume jovens do sexo masculino competirem para apanharem uma cruz lançada ao rio pelo padre, Petruniya acaba por saltar e apanhar a cruz, gesto que abala profundamente as estruturas sociais da aldeia.

"Temos que denunciar o patriarcado nos Balcãs, na Europa e no mundo. Infelizmente trata-se de um sistema social. Todos nós somos afetados mas por outro lado também nos estamos a questionar, ousamos tal como faz a Petrunya, a mudança é possível. Vivemos tempos excitantes", defendeu a realizadora.

O filme baseia-se numa história verdadeira que aconteceu na aldeia de Stip situada na região oriental da Macedónia.

O Prémio de Cinema Lux tem lugar todos os anos. O objetivo é chamar a atenção para um filme europeu que possa contribuir para o debate público a propósito da integração europeia.

O prémio é financiado pelo Parlamento Europeu.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.