Última hora
This content is not available in your region

Partido Likud apontado como potencial vencedor em Israel mas sem maioria

euronews_icons_loading
Partido Likud apontado como potencial vencedor em Israel mas sem maioria
Direitos de autor  Maya Alleruzzo/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de doze anos no cargo e apesar das acusações de corrupção, Benjamin Netanyahu encaminha-se em direção a uma reeleição enquanto primeiro-ministro de Israel, mas sem maioria. De acordo com resultados parciais, o Likud conquistaria cerca de 30 dos 120 assentos no Parlamento israelita, mas precisa de uma maioria de 61 deputados para formar governo.

Esta noite realizámos um feito incrível. Transformá-mos o Likud no maior partido de Israel, com uma grande margem.
Benjamin Netanyahu
Primeiro-ministro de Israel

Os resultados provisórios também apontam o partido centrista, Yesh Atid, como a segunda força mais votada. O líder mostra-se orgulhoso da performance do partido. "Temos motivos para nos orgulhar-mos da maneira como lidamos com a situação e o resultados que conseguimos. Neste momento, Netanyahu não tem 61 assentos, mas o bloco de mudança sim."

Apesar dos resultados e divisão política que domina Israel e abre espaço para o surgimento de pequenos partidos no parlamento do país, Benjamin Netanyahu não se privou de reivindicar uma "grande vitória da direita" nestas eleições. Netanyahu também a reclama responsabilidade pelo sucesso da campanha de vacinação israelita e pelo estabelecimento da paz com alguns países árabes.

Estas foram as quartas eleições gerais em Israel em apenas dois anos. Com cerca de 87,5% dos votos contados na manhã desta quarta-feira o Likud está na frente, mas os resultados finais devem ser conhecidos até sexta-feira.