Última hora
This content is not available in your region

A luta de Dominique Bersuder contra o silêncio dos pássaros

De  Cyril Fourneris
euronews_icons_loading
A luta de Dominique Bersuder contra o silêncio dos pássaros
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Dominique Bersuder passou anos a lutar contra o chamado "silêncio dos pássaros".

O voluntário da Liga de Proteção das Aves (LPO) da região francesa da Alsácia faz parte de um coletivo que realiza ações concretas para preservar o mocho galego. A espécie vive no Mediterrâneo desde a Idade Média, mas, quase desapareceu na década de 1990. O mocho galego, igualmente conhecido como coruja de Atena, está a ser preservado graças à colocação de caixas de nidificação.

"O mocho galelo é um bom exemplo de uma espécie que quase desapareceu na Alsácia. A população tinha atingido um nível muito baixo. Houve uma recuperação graças aos voluntários que realizaram ações para que a espécie crescesse novamente e iniciasse uma dinâmica positiva", contou à euronews Dominique Bersuder.

Várias ameaças aos ecossistemas das aves

"É uma espécie que consome muitos insetos no verão. Infelizmente, perdemos em França, em 30 anos, quase 80% da população de insetos que servem de alimento a muitas aves", sublinhou o voluntário francês.

Os pomares são outro dos elementos essenciais para a reprodução da espécie. "Foram destruídos muitos pomares. A maior parte dos pomares das periferias das cidades desapareceu. No campo, também desapareceram muitas árvores velhas, sobretudo as árvores de fruto que tinham muitas cavidades naturais e que permitiam a reprodução do mocho galego", explicou Dominique Bersuder.

"O trabalho de colocação de caixas de nidificação permitiu a recuperação da população. A grande vantagem é que essa caixa permite repor com muita facilidade as cavidades naturais. Esse é o fator mais limitador. Se não houver mais cavidades naturais em ambientes favoráveis, a espécie não conseguirá manter-se ou reproduzir-se. Por isso, é uma vantagem colocar caixas de nidificação em ambientes como este”, conclui o voluntário.