This content is not available in your region

Renovação energética de bairro espanhol suscita interesse em toda a Europa

De  Aurora Velez  & euronews
euronews_icons_loading
Renovação energética de bairro espanhol suscita interesse em toda a Europa
Direitos de autor  euronews

A renovação energética de um bairro de uma cidade espanhola está a suscitar interesse em toda a Europa.

Num bairro modesto de Viladecans, a sul de Barcelona, três prédios foram transformados em “comunidades de energia” capazes de partilhar energia. Foi criado um consórcio público-privado para a gestão da energia. Os cidadãos participaram no processo de decisão.

A maioria das casas, construídas nos anos setenta do século XX, estavam mal isoladas termicamente. Para os moradores, a mudança é positiva.

"No inverno, não temos tanto frio e no verão não está demasiado quente. E acusticamente sentimos a diferença porque colocaram-nos janelas com vidros duplos, é uma diferença drástica", disse à euronews Francisca Torres Roa, moradora do bairro.

euronews
Pere Gutiérrez Almany, coordenador do projeto europeu Vilawatteuronews

Excesso de produção de energia pode ser partilhado

As obras foram realizadas no âmbito do projeto europeu Vilawatt. De acordo com o coordenador da iniciativa, foram instaladas janelas, portas e persianas novas. Os três prédios foram isolados por dentro e por fora. Colocaram-se painéis fotovoltaicos nos telhados. Os edifícios foram transformados em “comunidades de energia” capazes de partilhar energia.

“Caso haja excesso de produção de energia, podemos ligar as diferentes comunidades num raio de 500 metros. É possível comunicar com as outras comunidades e partilhar a energia com os vizinhos, mesmo que eles não sejam donos da instalação”, contou Pere Gutiérrez Almany, coordenador do projeto Vilawatt.

euronews
Presidente da câmara de Viladecans, em Espanhaeuronews

Um novo modelo de produção de energia

"Até agora, o modelo era ter poucos centros que produziam muita energia, longe das cidades, com uma gestão privada. O projeto Vilawatt quer ter muitos pequenos centros produtores de energia e criar a cidade zero quilómetros ao nível da energia. A ideia é ter uma visão pública da energia em vez de fazer dela um negócio, porque não se trata de um bem de luxo, é um bem essencial que evita as desigualdades sociais. A gestão da energia deve ser feita por consórcio público privado como no projeto Vilawatt", explicou o médico Jordi Mazón Bueso, presidente da câmara de Viladecans.

Moeda digital local recompensa poupanças de energia

O projecto Vilawatt custou 5,3 milhões de euros. 80% do montante foi financiado pela política de coesão da União Europeia.Vilawatt é uma empresa de energia público-privada e já conta com cerca de seiscentos clientes em Viladecans.

Para envolver as pessoas no processo de decisão, criou-se um pólo de informação e aconselhamento, no centro do bairro. A população pode obter conselhos sobre contratos de energia e custos. Os cidadãos e as empresas envolvidas no projeto têm voz ativa na tomada de decisão do consórcio.

Villawatt é também uma moeda digital local. As economias de energia são convertidas em Vilawatts que podem ser usados em mais de 400 lojas da cidade. "Há pessoas que não costumavam vir à nossa loja, mas vêm porque têm a moeda Vilawatt. Não é preciso andar com um cartão ou dinheiro líquido. A pessoa paga com um aplicação para telemóvel. Temos uma, duas, três ou quatro transações por dia com a moeda Vilawatt", contou Sonia Gómez Petit, coproprietária de uma loja de roupa para crianças.