EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Balanço de mortos na Bahia aumenta em tragédia relacionada com o fenómeno "La Niña"

Vítimas das cheias tentam recuperar pertences em Itambe, Bahia, Brasil
Vítimas das cheias tentam recuperar pertences em Itambe, Bahia, Brasil Direitos de autor EPA/Felipe Iruata
Direitos de autor EPA/Felipe Iruata
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Aumenta para 20 o número de mortos devido às fortes chuvas que afetam o nordeste do Brasil desde novembro. Meteorologistas responsabilizam aquecimento global

PUBLICIDADE

Pelo menos 20 pessoas já morreram devido às intempéries que estão a assolar o nordeste do Brasil desde novembro.

Só no estado da Bahia, há mais de 70 municípios colocados em situação de emergência, incluindo 58 em situação de crise devido às cheias.

Mais de 430 mil pessoas foram afetadas, cerca de 16 mil necessitam de alojamento e há quase 20 mil deslocadas, mas sem necessidade de abrigo. As operações de resgate sucedem-se.

"Foi uma junção de fatores que culminaram nessa tragédia. O principal fator é a La Niña, mas as águas mais aquecidas no Atlântico também potencializam a situação. O aumento da temperatura faz com que as frentes frias avancem mais lentamente, o que leva à formação de chuvas por mais dias consecutivos e em maior volume", explicou a meteorologista Daniela Freitas, da Climatempo, citada pelo jornal "Folha de São Paulo".

Os mortos começam a ser enterrados e esta segunda-feira houve caixões transportados de barco para Ilhéus, uma das cidades mais afetadas e onde iam decorrer alguns funerais.

Apesar de normais, nesta altura do ano, estes temporais revelaram uma intensidade e duração atípicas e, de acordo com as previsões, vão manter-se nos próximos dias.

Outras fontes • G1, Folha

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chuva na Califórnia deixa rasto de destruição

Fortes chuvas e degelo nos Pirenéus agravam cheias em França

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas