EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

EUA-China: risco de guerra comercial

EUA anunciaram novas taxas para os produtos chineses
EUA anunciaram novas taxas para os produtos chineses Direitos de autor Reuters
Direitos de autor Reuters
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Estados Unidos entregaram lista de "pedidos". China diz-se disponível para negociar na base do "mútuo benefício". Especialistas chamam à atenção para a necessidade de respeitar os acordos internacionais.

PUBLICIDADE

O risco de guerra comercial entre os Estados Unidos e a China marca o ritmo dos mercados.

Washington impôs novas taxas às importações chinesas enquanto mantém negociações comerciais com Pequim. A China ameaçou retaliar, mas agora apela para que os membros da Organização Mundial do Comércio trabalhem juntos e previnam a destruição dos acordos em vigor.

A porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros afirma que "no que toca a diferenças económicas e comerciais entre a China e os Estados Unidos", a China sempre disse estar "disponível para negociar na base do respeito mútuo e do mútuo benefício". Garante ainda que "a porta para o diálogo está sempre aberta".

Os Estados Unidos enviaram à China uma lista de "pedidos " para reduzir o défice na balança comercial. Uma informação avançada pelo Wall Street Journal.

Para os analistas, as questões comerciais tèm de ser resolvidas em conclave; nunca unilateralmente.

Jeffrey Sachs , Economista e Conselheiro Especial do Secretário-Geral da ONU considera mesmo que "é muito importante para a China e para a Europa insistir nas regras e processos da Organização Mundial do Comércio. Nós temos regras globais; passámos muito tempo a negociá-las e chegar a entendimentos. Os Estados Unidos não podem agir unilateralmente contra essas regras".

Enquanto Pequim e Washington trocam argumentos que podem por em causa os acordos comerciais internacionais, os chineses começam a fazer contas à vida com uma potencial subida dos preços dos produtos importados dos Estados Unidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

China impõe tarifa de 25% a 128 produtos de importação norte-americana

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado