Parlamento europeu debate Ryanair

Parlamento europeu debate Ryanair
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A iniciativa coube aos Verdes que incluiram o tema na agenda de trabalhos.

PUBLICIDADE

O cancelamento em massa de voos efetuado recentemente pela Ryanair foi alvo de debate no parlamento europeu esta terça-feira. A iniciativa coube aos Verdes que incluiram o tema na agenda de trabalhos. Para a agência europeia dos consumidores, a Ryanair não agiu de boa fé.

“Somos da opinião que a Ryanair deliberadamente não informou devidamente os consumidores sobre os seus direitos a indemnização que em muitos casos se aplica à situação dos passageiros. E eles evitaram isso para, é claro, evitarem pagar”, adiantou Ursula Pachl, vice diretora-geral da BEUC, a organização europeia de defesa dos direitos dos consumidores.

Apesar do debate parlamentar não ter caráter vinculativo, alguns eurodeputados defendem que a Comissão deveria debruçar-se sobre esta questão e aplicar sanções em caso de violação da lei europeia.

Para o eurodeputado Carlos Coelho, do grupo do EPP, trata-se de uma questão transnacional que requer intervenção a nível europeu.

“Detetamos que existem problemas de cooperação entre as autoridades nacionais de defesa dos consumidores dos estados-membros, por isso estamos a terminar a aprovação de uma diretiva a fim de melhorar a cooperação entre estas autoridades e permitir mais intervenção pela Comissão Europeia”, afirmou.

O debate ocorre na mesma altura em que a transportadora aérea britânica de baixo custo, Monarch, abriu falência obrigando à repatriação de 100 mil passageiros e um custo de 60 milhões de libras para o governo britânico.

Alguns eurodeputados acreditam que chegou a altura de repensar o modelo económico das transportadoras de baixo custo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ryanair rasga política laboral com 30 anos para salvar voos de Natal

Macron enfrenta manifestantes na Feira de Agricultura de Paris

Cólera dos agricultores em Espanha e França está para durar