A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Cluster austríaco domina setor das tecnologias verdes

Cluster austríaco domina setor das tecnologias verdes
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os exemplos de clusters, empresas que se aglomeram para potenciar a atividade, aumentaram exponencialmente na Europa e os resultados falam por si. Em Graz, na Áustria, existe um cluster especializado nas mais avançadas tecnologias verdes onde, nos últimos cinco anos, foram criados cerca de 6 mil empregos.

É aí que se situa uma das empresas líderes na Europa no setor de aquecimento por biomassa. Produzem aparelhos que funcionam a lenha e a granulados de madeira, permitindo reduzir para metade a fatura do aquecimento. A empresa aderiu ao cluster em 2005. O número de trabalhadores saltou de 100 para 400. O volume de negócios foi multiplicado por dois, atingindo os 75 milhões de euros, em 2012.

Erwin Stubenschrott, co-fundador da KWB, afirma que “este cluster é a plataforma ideal para encontrar mais parceiros, descobrir inovações e apresentar produtos novos em novos mercados.”

Anualmente, a KWB investe 10% do volume de negócios na área da pesquisa e inovação, o que acaba por beneficiar todo o aglomerado empresarial. No Eco World Styria há mais de 160 empresas. O cluster é um dos poucos a ter obtido o ouro no título europeu de excelência em gestão de plataformas empresariais.

A taxa média de crescimento das empresas aqui sediadas é de mais de 18%, praticamente o dobro do mercado, um desempenho atribuído à concertação de estratégias comuns e à obtenção de financiamentos para estimular a inovação no domínio das tecnologias verdes.

Bernhard Puttinger, diretor geral do cluster, destaca exemplos: “o Eco World Styria ajudou uma empresa, por exemplo, a conceber painéis solares que ficam praticamente invisíveis no telhado. Também contribuímos para o desenvolvimento do primeiro vinho a ser fermentado com recurso à energia solar.”

Criado em 2005, o Eco World Styria está longe de se limitar ao mercado europeu. Foram estabelecidas sinergias em todo o mundo. “As nossas empresas exportam quase 90% dos produtos para o mercado internacional. Desde cedo, começámos a cooperar com clusters na Dinamarca, Singapura, China ou Estados Unidos”, explica Puttinger.

Para Erwin Stubenschrott, “as chaves do sucesso, para uma empresa integrada num cluster, são a sinceridade, a honestidade e um investimento ativo na cooperação.”