This content is not available in your region

Primeiro dia sem baixas na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com Reuters, APTN
Primeiro dia sem baixas na Ucrânia

Pela primeira vez desde o início dos confrontos na Ucrânia, viveu-se um dia sem uma única morte causada pelo conflito.

Foi ao terceiro dia da trégua entre o exército ucraniano e os separatistas pró-russos. Um cessar-fogo que as duas partes esperam vir a prolongar, com novas conversações.

Entretanto, a Rússia enviou mais uma coluna de ajuda humanitária para a região do Donbass, controlada pelos separatistas. Os camiões foram revistados pelos guardas fronteiriços ucranianos. Em carregamentos anteriores, a Ucrânia acusou a Rússia de fornecer armas.

Para os militares no terreno, a esperança de uma paz duradoura é pouca: “Os terroristas (como as forças leais ao governo de Kiev chamam aos rebeldes) não têm paciência para manter o cessar-fogo. Nas últimas 24 horas, atacaram as nossas posições seis vezes, com armas de fogo. Temos notícias de pelo menos dois feridos civis”, diz Oleksiy Dmytrashkivskiy, porta-voz das forças antiterroristas ucranianas.

Uma prova de que a resolução do conflito pode não acontecer já nos próximos dias é que o ministro ucraniano da Defesa pediu que o orçamento fosse duplicado no próximo ano.

A Ucrânia conta ter meio milhão de soldados deslocados no leste do país, em 2015. Entretanto, o ministro das Finanças desmentiu o primeiro-ministro Yatsenyuk e disse que o país não corre risco de entrar em incumprimento da dívida.