EUA renovam aliança com Cabul

EUA renovam aliança com Cabul
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A aliança entre os Estados Unidos e o Afeganistão ganha novo fôlego. Em Camp David, o presidente afegão ouviu a promessa de que os Estados Unidos

PUBLICIDADE

A aliança entre os Estados Unidos e o Afeganistão ganha novo fôlego. Em Camp David, o presidente afegão ouviu a promessa de que os Estados Unidos destinarão recursos a um amplo contingente de forças de segurança, pelo menos até 2017.

Ashraf Gani também poderá contar com um pacote monetário considerável para impulsionar o desenvolvimento do Afeganistão durante o período pós-guerra.

“Fico satisfeito por anunciar uma nova iniciativa para um plano com vista a criar uma nova parceria de desenvolvimento, alinhada com a agenda reformista do governo de unidade nacional. A parceria vai promover a autossuficiência do Afeganistão usando até 800 milhões de dólares de ajuda dos Estados Unidos para incentivar as reformas conduzidas pelo país”, disse o secretário de Estado norte-americano John Kerry.

Esta é a primeira visita de Ashraf Ghani aos Estados Unidos desde que foi eleito líder afegão.

“Trata-se de um relacionamento fundador. Estamos muito orgulhosos em que esta relação se transforme em algo duradouro”, comentou o chefe de Estado do Afeganistão.

Na agenda do périplo está previsto hoje um encontro com o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, bem como a passagem pelo Congresso na quarta-feira e pelas Nações Unidas no dia seguinte.

Stefan Grobe, Euronews: “Longe vai o tempo em que Washington se exasperava com o antigo presidente afegão Hamid Karzai. Karzai criticou publicamente, mais do que uma vez, os Estados Unidos e desafiou a boa vontade da administração Obama. O Governo de unidade nacional de Ashraf Ghani parece agora oferecer uma nova promessa, para uma parceria mais efetiva com os Estados Unidos.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy promulga lei controversa para mobilizar mais militares para a guerra

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Casa Branca diz desconhecer data para a ofensiva terrestre em Rafah