Turquia suspende voos do A-400M e ações da Airbus abrem semana em baixa

Turquia suspende voos do A-400M e ações da Airbus abrem semana em baixa
De  Francisco Marques com Lusa, Efe
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A investigação à queda do avião em Sevilha, no sábado, prossegue. As caixas negras do aparelho já foram recuperadas

PUBLICIDADE

Prossegue a investigação em Sevilha, no sul de Espanha, à queda, no passado sábado, do avião Airbus 400-M e da qual resultaram quatro mortos e dois feridos. A incerteza sobre as causas do acidente criaram desconfiança nos mercados e as ações da gigante europeia da aeronáutica abriram a semana em baixa.

Airbus shares trade lower after A400M military plane crash http://t.co/Xr8Ba9XhQs

— Reuters Business (@ReutersBiz) 11 maio 2015

O aparelho despenhou-se a cerca de um quilómetro do aeroporto sevilhano de San Pablo, após levantar voo para a primeira de seis sessões de testes antes de ser entregue, em julho, à Turquia. A bordo seguiam seis pessoas, todos espanhóis: dois pilotos, um mecânico e três engenheiros. Quatro morreram, dois ficaram feridos e continuam internados em estado “estável dentro da gravidade” do ocorrido.

O avião acidentado fazia parte de um lote de 10 acordados entre o Governo turco e a Airbus e cuja entrega deve ser feita até 2018. Seguindo a decisão preventiva de Reino Unido, Alemanha e Malásia, que também possuem este tipo de aparelhos nas respetivas frotas, a Turquia suspendeu a utilização dos dois A-400M que já tem na sua posse até que seja clarificado o que aconteceu em Sevilha. A França, por outro lado, fez saber que pretende manter no ar os seus dois A-400M até provas sólidas de que haja de facto perigo em manter os voos.

The crashed Airbus A400M with serial number 23 was on its first flight & was intended for Turkish Air Force #CASA423pic.twitter.com/gmxAR5B0bw

— Flightradar24 (@flightradar24) 9 maio 2015

O projeto de produção do A-400M começou por ser avaliado em 20 mil milhões de dólares, mas teve de ser revisto para mais de 30 mil milhões de euros devido à muita tecnologia envolvida. As encomendas de novos aparelhos incluem 53 aparelhos para a Alemanha, 27 para Espanha, 50 para a França e 22 para o Reino Unidos.

Imagens do primeiro voo efetuado por um A-400M

O A-400M é o maior avião movido a hélices do Mundo. Nasceu de um projeto assinado em 2003 entre sete países (Alemanha, França, Espanha, Reino Unido, Turquia, Bélgica e Luxemburgo), que acordaram a aquisição total de 180 unidades. Foi desenhado para fins militares com o objetivo de susbtituir por exemplo o famoso Hercules C-130. A primeira entrega aconteceu em 2013, à França.

A divisão Espaço & Defesa da Airbus garante que vai continuar a realizar testes de voo ao agora controverso aparelho movido a quatro hélices. O próximo voo está previsto para terça-feira, com descolagem em Toulouse, França.

Airbus to continue A400M test flights following Spain crash http://t.co/2n3sdfg8r4pic.twitter.com/sADn23kLnB— FRANCE 24 (@FRANCE24) 11 maio 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vinícius Júnior, jogador do Real Madrid, não conseguiu conter as lágrimas ao falar de racismo

Tribunal suspende bloqueio do Telegram em Espanha