EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Grécia: Parlamento vota condições do resgate conseguido em Bruxelas

Grécia: Parlamento vota condições do resgate conseguido em Bruxelas
Direitos de autor 
De  Fernando Peneda com Lusa/Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A cimeira da zona euro terminou com um acordo de princípio para um resgate para três anos, num valor de aproximadamente 86 mil milhões de euros, com

PUBLICIDADE

A cimeira da zona euro terminou com um acordo de princípio para um resgate para três anos, num valor de aproximadamente 86 mil milhões de euros, com uma série de condicionantes que as autoridades gregas devem começar a legislar e implementar no imediato.

Devido às condições acordadas pela Grécia, as cisões nas fileiras do partido no Governo impossibilitam o SYRIZA de obter uma maioria na votação parlamentar de aprovação do programa de resgate.

“Não sei quantos vão votar contra nem quem são, mas terão de se responsabilizar pela sua decisão. O mais importante é que o país tem de ser governado, continuar de pé e cumprir com as obrigações assumidas”, afirmou o deputado do SYRIZA, George Varemenos.

Alexis Tsipras terá de conquistar o apoio de deputados da oposição, mas para o ministro alemão das Finanças é a credibilidade de zona euro que está em jogo.

“Não tenhamos ilusões. A Zona Euro perdeu credibilidade. Não se trata só de um país. É por isso que é muito importante ver os casos particulares e começar a implementar o que foi decidido”, sublinhou Wolfgang Schaüble.

Schaüble propôs que a Grécia recorresse a títulos de dívida para pagar os salários da função pública a as pensões, o que permitiria ao país reembolsar parcialmente o BCE. Uma proposta muito controversa, numa altura em que os bancos continuam encerrados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Grécia: Acordo do eurogrupo afasta "Grexit" sem confirmar terceiro resgate

Grécia: do inferno à prosperidade

Alexis Tsipras demitiu-se da liderança do Syriza