Última hora
This content is not available in your region

Molécula pode desacelerar sintomas de Alzheimer em fase inicial

Molécula pode desacelerar sintomas de Alzheimer em fase inicial
Tamanho do texto Aa Aa

O combate contra a doença de Alzheimer deu um pequeno passo que se pode revelar de grande importância. O laboratório americano Eli Lilly anunciou que uma molécula que está a ser testada desde 2010 apresentou resultados promissores, mas apenas numa fase inicial da doença. Caso contrário, será inútil, como explica o professor Paul Aisen da Universidade do Sul da Califórnia:

“O estudo sugere que é importante começar a terapia cedo. Isso permite mudar a ação da doença de uma forma que melhora o resultado com o tempo, pelo contrário se se começar a terapia mais tarde é impossível recuperar o atraso.”

Se nos próximos anos os resultados dos testes comprovarem a experiências já feitas, a molécula do laboratório americano pode ser a primeira a conseguir desacelerar os sintomas desta doença degenerativa.

Atualmente há 44 milhões de pessoas com demência no mundo e o Alzheimer é uma das principais causas. Este número deverá subir para os 135 milhões em 2050, de acordo com a Alzheimers’s Disease International. Estima-se que, atualmente, existam 90 mil pessoas com Alzheimer em Portugal.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.