Mundiais de Pequim chegam ao fim em dia de ouro para a Etiópia

Mundiais de Pequim chegam ao fim em dia de ouro para a Etiópia
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Chegaram ao fim os Campeonatos do mundo de atletismo com mais uma medalha de ouro para a Jamaica, a sétima, na estafeta de 4×400 metros. Um triunfo

PUBLICIDADE

Chegaram ao fim os Campeonatos do mundo de atletismo com mais uma medalha de ouro para a Jamaica, a sétima, na estafeta de 4×400 metros. Um triunfo só possível graças à impressionante ponta final de Novlene Williams-Mills.

Os 5 mil metros foram inteiramente dominados pelas etíopes, com três atletas nos três primeiros lugares. Almaz Ayana foi quem subiu ao lugar mais alto do pódio.

O país africano teve ainda motivos para festejar na maratona, Mare Dibaba foi a primeira a cortar a linha da meta. Filomena Costa foi a única portuguesa presente, terminou na 12ª posição.

Congratulations Mare Dibaba! The first Ethiopian woman to win a world championships marathon title! pic.twitter.com/P1sMdgv0dO

— IAAF (@iaaforg) 30 agosto 2015

Já Katharina Molitor venceu a primeira medalha de ouro da carreira aos 31 anos de idade. A alemã não deu hipóteses no lançamento do dardo.

Nos homens, os Estados Unidos somaram o sexto título mundial consecutivo nos 4×400 metros. A equipa norte-americana alcançou a melhor marca mundial do ano na disciplina, já a Jamaica desiludiu na ponta final e ficou fora do pódio.

O queniano Asbel Kiprop somou o terceiro título mundial nos 1500 metros depois de se impor ao compatriota Elijah Motonei Manangoi.

No salto em altura, o canadiano Derek Drouin foi o único a transpor a fasquia a 2m34 e revalidou o título conquistado há dois anos em Moscovo.

Yes! That's how close the men's HJ final was in #Beijing2015pic.twitter.com/oyHhL8Yum7

— IAAF (@iaaforg) 30 agosto 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Campeã olímpica Caster Semenya ganha recurso contra testosterona no atletismo

"O verdadeiro Mo Farah"

Atletas ucranianos treinam na Albânia mas com saudades de casa