EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Eurodeputados da extrema-direita reúnem-se em Milão contra Bruxelas

Eurodeputados da extrema-direita reúnem-se em Milão contra Bruxelas
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A extrema-direita com representação no Parlamento Europeu reuniu-se na cidade italiana de Milão, para a primeira convenção do grupo de eurodeputados

PUBLICIDADE

A extrema-direita com representação no Parlamento Europeu reuniu-se na cidade italiana de Milão, para a primeira convenção do grupo de eurodeputados eurofóbicos que assumiu o nome de “Europa das Nações e das Liberdades”.

Um projeto defendido ferozmente pela líder da Frente Nacional francesa.

Marine Le Pen afirmou que “os que tentam descobrir incoerências, não encontrarão nenhuma pois, fortalecidos pela defesa da democracia e da soberania”, todos os presentes na convenção, são “capazes de se respeitar, ser amigos e manter-se fiéis a si próprios”.

Com Matteo Salvini, da Liga do Norte italiana, como anfitrião, o encontro foi pautado pela habitual retórica anti-imigração.

O líder do Partido da Liberdade da Áustria, Heinz-Christian Strache, defendeu que “a Europa e a cultura e liberdade europeias estão atualmente em perigo, devido à irresponsabilidade da imigração em massa. É dramático a forma como a União Europeia, bem como representantes de governos nacionais, falharam e conduziram a Europa para o abismo”.

Um dos deputados do Partido da Liberdade, do holandês Geert Wilders, defendeu a necessidade de “lutar contra o monstro de Bruxelas”.

Wilders não hesitou em eternizar o momento, num “selfie” com Le Pen publicado no Twitter:

Together with MLP_officiel</a> <a href="https://t.co/bWcHTlo3O0">pic.twitter.com/bWcHTlo3O0</a></p>&mdash; Geert Wilders (geertwilderspvv) January 29, 2016

No exterior da convenção, centenas de militantes de esquerda contestaram de forma pacífica o encontro. Um protesto marcado por uma forte presença policial, mas onde o único momento “quente” foi por ocasião do lançamento de fogos-de-artifício.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Direita nacionalista europeia reunida em Milão

Estudantes de Milão montam acampamento em solidariedade com a Palestina

Giorgio Armani acusada de ter fábricas ilegais na Lombardia e exploração laboral