EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Brasil: Procurador-geral pede abertura de inquérito a Dilma e Lula

Brasil: Procurador-geral pede abertura de inquérito a Dilma e Lula
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O procurador-geral da República brasileira, Rodrigo Janot, enviou um pedido de abertura de inquérito, ao Supremo Tribunal Federal, para investigar

PUBLICIDADE

O procurador-geral da República brasileira, Rodrigo Janot, enviou um pedido de abertura de inquérito, ao Supremo Tribunal Federal, para investigar Dilma Rousseff, Lula da Silva e o advogado-geral da União, o ministro José Eduardo Cardozo, por alegada obstrução à Justiça, no quadro da Operação Lava Jato.

#RodrigoJanot pede ao #STF autorização para investigar #Lula, #Dilma e #JoséEduardoCardozo: https://t.co/EpaqUVmHtcpic.twitter.com/PglBFTQPNv

— Jornal da Globo (@JornalDaGlobo) May 4, 2016

A solicitação tem por base gravações de conversas telefónicas, entre a atual e o antigo presidente brasileiro, parte delas divulgadas já pelo juiz federal Sérgio Moro. Os investigadores suspeitam que Dilma Rousseff quis nomear “à pressa” Lula da Silva, para o seu núcleo duro, como forma a evitar que este fosse detido, pelo seu papel na teia criminosa que existia por detrás da Petrobras, o que é interpretado por Rodrigo Janot como crime de obstrução à Justiça.

Com votação do impeachment próxima, popularidade de Dilma despenca https://t.co/mSGSm3r19Xpic.twitter.com/Ch6oLNSox3

— Carlos Britto (@carlosbritto1) April 24, 2016

Enquanto Dilma Roussef continua a braços com a possível destituição, o procurador-geral procura provar que Lula da Silva foi o cérebro que conduziu a corrupção na Petrobras, empresa cujo acionista maioritário é o Governo do Brasil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rousseff: "Dama de Ferro" até quando?

Brasil: Parlamento dita destino de Dilma este domingo

Brasil: Nomeação de Lula pode ser o princípio do fim de Dilma