A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O novo filme de Jodie Foster: a finança como forma de entretenimento

O novo filme de Jodie Foster: a finança como forma de entretenimento
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Realizado por Jodie Foster, “Money Monster” acaba de chegar às salas de cinema.

Neste filme, mostramos a finança enquanto forma de entretenimento e mostramos como ela pode ser mal interpretada. Os espetadores pensam que estão a ser informados mas, na realidade, trata-se de entretenimento mais do que de informação.

George Clooney incarna o papel de um guru da bolsa que dá sugestões de investimento na televisão. Durante uma emissão em direto, um espetador que perdeu todo o dinheiro da família, devido aos conselhos do apresentador, rapta a equipa do programa e ameaça matá-la.

“Neste filme, mostramos a finança enquanto forma de entretenimento e mostramos como ela pode ser mal interpretada. Os espetadores pensam que estão a ser informados mas, na realidade, trata-se de entretenimento mais do que de informação” afirmou Julia Roberts.

“Num ciclo de notícias de 24 horas, ouvimos sempre as mesmas coisas. Pensamos que o mundo vai acabar e que os extremistas Islâmicos vão dominar o mundo. Na realidade, é preciso contextualizar os factos para que as notícias e o jornalismo não sejam um subproduto da cadeia informativa”, disse George Clooney.

“Aprecio a minha carreira como atriz. Foi fantástico, aprendi imenso. Tenho orgulho nos filmes que fiz. Trabalhei com equipas fantásticas
Mas sempre sonhei em ser realizadora, desde pequena queria ter uma visão global das coisas e ser autora, quer o filme seja bom ou mau, eu sou a autora da obra”, sublinhou a realizadora.

Apresentado em Cannes, fora da competição, ‘Money Monster’ está em exibição nos cinemas portugueses.