EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rato Mickey e a Cinderela já têm uma luxuosa "casa" aberta na China

Rato Mickey e a Cinderela já têm uma luxuosa "casa" aberta na China
Direitos de autor 
De  Euronews com reuters, xinhua
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Abriu ao público esta quinta-feira o primeiro parque temático da Disney em território chinês e o sexto a nível mundial.

PUBLICIDADE

Abriu ao público esta quinta-feira o primeiro parque temático da Disney em território chinês e o sexto a nível mundial. A inauguração do maior investimento fora dos Estados Unidos da empresa de entretenimento norte-americana contou, inclusive, com mensagens dos presidentes Xi Jinping e Barack Obama.

Avaliado em quase cinco mil milhões de euros, o Reino Mágico da China, a nova “casa” do Rato Mickey e da Cinderela, entre outros icónicos personagens, é uma assumida aposta de crescimento focada no potencial demográfico da região de Xangai, onde a Disney estima que, apenas num raio de três horas de distância em redor do parque, existam mais de 330 milhões de pessoas e potenciais visitantes.

Disney inaugura parque temático em Xangai https://t.co/sZ9CVTtZzApic.twitter.com/qYDlK5tqjR

— arte&agenda (@arteeagenda) 15 de junho de 2016

#Disney inaugura em Xangai seu primeiro parque de diversões na China continental #AFP#VÍDEO por messmerlukas</a><a href="https://t.co/CGmCntUR5R">https://t.co/CGmCntUR5R</a></p>&mdash; AFP Brasil (AFPBrasil) 15 de junho de 2016

Perspetivas para o Xangai Disney

A expetativa para o primeiro parque temático da Disney na China são altas. Alguns analistas perspetivam que esta nova atração em Xangai se torne no parque temático mais visitado do mundo, com uma afluência anual entre os 15 milhões e uns muito otimistas 50 milhões de visitantes.Por comparação, o Reino Mágico de Orlando, nos Estados Unidos, o primeiro parque da Disney e até agora o mais visitado atraiu, em 2014, 19,3 milhões de pessoas. Em termos económicos, o analista Tony Wible, da Dexel Hamilton, o Xangai Disney deverá gerar receitas anuais entre os 1,5 mil milhões e os 4,5 mil milhões de dólares (1,3 mil milhões — 4 mil milhões de euros). Uma boa parte, no entanto, ficará nas maos do grupo Shanghai Shendi, detentor de 57 por cento do parque.

O diretor executivo da empresa revelou que a Disney considerou “muitas formas de crescimento na China”, num estudo que terá começado há quase duas décadas. “Estamos claramente a beneficiar, por exemplo, do crescimento do mercado cinematográfico chinês. Até pelo sucesso estrondoso de alguns dos nossos filmes mais recentes. Mas nada poderia criar mais impacto e gerar mais ligações às nossas histórias e aos nossos personagens do que a experiência de um parque temático”, considerou Bob Iger, no discurso de abertura do parque.
A cerimónia ficou ainda marcada pelos desejos do Presidente chinês de que “o (parque) Xangai Disney consiga proporcionar experiências seguras e de qualidade aos visitantes”. “Espero que se torne num parque de classe mundial e que promova trocas entre culturas de todo o mundo”, acrescentou, através de uma missiva escrita, Xi Jinping. Barack Obama, por seu turno, e também numa mensagem escrita lida por Bob Iger, considerou que, “misturando um negócio norte-americano à bela e rica herança cultural chinesa, esta infraestrutura capta a promessa das relações bilaterais de ambos os países”.

O Presidente dos Estados Unidos enalteceu também a interculturalidade proposta pelo projeto e sublinhou “a importância de a china continuar a tornar-se mais atrativa para o investimento do resto do mundo”. “Isso é benéfico para ambos os nossos países”, concluiu Obama.

O novo parque da Disney em Xangai demorou cinco anos a ser construído e vai continuar a crescer, resulta de uma associação entre a Walt Disney e o grupo estatal chinês Shanghai Shendi e inclui, para além das habituais diversões, dois hotéis temáticos, uma “Disney Town”, um centro comercial, um bairro de restaurantes e entretenimento e ainda o recreativo “Wishing Star Park”, tudo numa área de 3,6 quilómetros quadrados, que pode expandir-se até aos 7 quilómetros quadrados de terreno adquiridos pelo consórcio que gere o projeto.

Antes mesmo da abertura, um milhão visitou resort da Disney em Xangai: https://t.co/hNq17vTqevpic.twitter.com/iPPydPiEJp

— Pequenas Empresas (@peqempresas) 4 de junho de 2016

> O parque mistura a tradicional fantasia da Disney, integrando o maior castelo de todos os parques da empresa no Mundo, com a cultura chinesa. A rua principal, por exemplo, habitualmente identificada como “Main street” foi rebatizada para “Mickey Avenue” para reduzir a “pegada” americana no parque. Entre as atrações inclui-se ainda uma casa de chá ao estilo chinês, um jardim inspirado no zodíaco chinês e um musical do Tarzan interpretado por acrobatas chineses.

A um mês da inauguração e com as bilheteiras abertas desde 28 de março, a Disney já tinha vendido todas as entradas para as primeiras duas semanas do parque de Xangai. O bilhete normal custa 370 yuan (cerca de 50 euros), mas em épocas altas como fins de semana, feriados ou períodos de férias pode chegar aos 499 yuan (cerca de 65 euros).

Novo Parque Disney Xangai lança regras de comportamento https://t.co/TOj1KFo8i9pic.twitter.com/F0itObpBtx

— Viagens e Férias.net (@netviagem) 31 de maio de 2016

VIDEO: #Disney shows off $5.5 billion theme park in #Shanghai. Full story at https://t.co/P15HfSkTOF by ARJourdan</a><a href="https://t.co/Yshw5cNRYX">https://t.co/Yshw5cNRYX</a></p>&mdash; Reuters India (ReutersIndia) 16 de junho de 2016

/p>

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comprar peças originais sem ir à falência: bem-vindos à feira de arte acessível de Hong Kong

Putin enaltece comércio bilateral no último dia da sua visita à China

Xi Jinping promete a Putin continuar a consolidar "amizade de boa vizinhança"