Última hora

Última hora

Dezenas de milhares em Okinawa contra presença militar em bases americanas

Dezenas de milhares em Okinawa contra presença militar em bases americanas
Tamanho do texto Aa Aa

O governo japonês mantém o silêncio, mas a população japonesa de Okinawa, não.

Dezenas de milhares de pessoas protestaram no que pode ser a maior manifestação das últimas duas décadas contra a presença militar americana em bases locais.

O último caso a reacender a indignação foi o estrangulamento e esfaqueamento de Rina Shimabukuro, de 20 anos. Antes, tinha sido violada por um funcionário civil da base militar americana de Futenma.

Em 1995, a violação de uma criança de 12 anos por 3 soldados americanos gerou protestos massivos e levantou a hipótese de mudança de local da base de Futenma, uma vez que está numa zona residencial.

A hipótese de relocação é mantida pelos governos de ambos os países, mas a população e as autoridades de Okinawa acham que a presença de 50 mil cidadãos americanos, dos quais 30 mil são militares e empregados civis nas bases militares são um fardo injusto para suportar em qualquer ponto da ilha.

Foi também organizada uma manifestação em Tóquio a pedir a retirada das bases militares americanas.