Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Joseph Stiglitz não acredita na viabilidade da zona euro sem reformas

Joseph Stiglitz não acredita na viabilidade da zona euro sem reformas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A zona euro continua a lutar contra um fraco crescimento. O vencedor de um Prémio Nobel da Economia, Joseph Stiglitz, não acredita na viabilidade do projeto, sem reformas.

Afirma também que a solução não está no Banco Central Europeu. Já que a zona euro foi assente em mais pilares políticos do que económicos. “Creio que existem limites relativamente ao que um banco central pode fazer. Portanto, como eu disse, o problema não tem a ver com as políticas, mesmo com as melhores políticas – e diga-se que não têm sido as melhores – mas mesmo com a melhor das políticas teria sido praticamente impossível fazer com que a zona euro funcionasse, mesmo com um génio a fazer as políticas.”

Joseph Stiglitz não concorda com Mario Draghi que afirma que agora cabe aos governos da Europa começaram a trabalhar e a fazer a sua parte: “Não, eu não concordo. A avaliação dele tenta colocar a culpa nas vítimas. Quando ele fala de governos, a questão é: quais governos? Se a Alemanha tivesse inflacionado a economia, para permitir que os preços subissem, em vez de colocar o fardo do ajustamento em países como Espanha e Portugal, isso teria ajudado muito. Mas a questão fundamental é a estrutura da zona euro. A alteração do mandato do Banco Central Europeu e a criação de novas instituições. Os países individuais não conseguem resolver o problema sozinhos.”

Como novas instituições, Stiglitz defende a criação de uma união bancária e de um fundo de solidariedade, para ajudar os países atingidos pela crise.