Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Venezuela: Manifestação contra a suspensão do referendo revogatório

Venezuela: Manifestação contra a suspensão do referendo revogatório
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de venezuelanos marcharam em Caracas no sábado para o exigir respeito pela Constituição e protestar contra a suspensão temporária do processo de convocação de um referendo que visava a destituição do presidente Nicolas Maduro.

Lilian Tintori, mulher do líder oposicionista Leopoldo Lopez, que está preso, e a ex-deputada e fundadora do movimento político Vente Venezuela, Maria Corina Machado, encabeçaram o protesto.

“Chegou a hora da desobediência civil”, disse Corina Machado, que apelou à Assembleia Nacional para que declare na sessão convocada para este domingo que a Venezuela é governada por uma ditadura e inicie o processo de destituição de Maduro.

Para a oposição venezuelana, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) está deliberadamente a atrasar o processo, para evitar que a consulta popular tenha lugar antes de 10 de janeiro de 2017.

De acordo com a legislação venezuelana, se o referendo se realizar até essa data e o resultado for desfavorável a Maduro, deverão ser convocadas novas eleições presidenciais. Depois de 10 de janeiro, mesmo que Nicolás Maduro seja afastado, não haverá eleições e o seu mandato será assumido pelo vice-presidente Aristóbulo Isturiz, permitindo ao regime manter-se até 2019.

Os líderes da aliança da oposição Mesa de la Unidad Democrática apelam a um protesto nacional no próximo dia 26, acusando o governo de golpe judicial contra a soberania popular.