Trump desenha administração empresarial para os EUA

Trump desenha administração empresarial para os EUA
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, continua a desenhar os contornos da sua futura administração.

PUBLICIDADE

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, continua a desenhar os contornos da sua futura administração. Uma equipa que, a confirmar-se, é a demonstração clara da sua perspetiva empresarial.

Enquanto Trum diz, nas redes sociais, que é o único a saber “quem são os finalistas”, para secretário do Tesouro dá-se como quase certa a escolha de Steven Mnuchin, banqueiro norte-americano, que foi diretor financeiro da sua campanha.

O possível responsável pela pasta das Finanças trabalhou 17 anos na Goldman Sachs e foi cofundador e é presidente da Dune Capital Management, atualmente produz, também, filmes em Hollywood.

Outro multimilionário, Wilbur Ross, poderá ser o secretário do Comércio. O investidor norte-americano, que tem negócios no Brasil desde 2006, é um especialista em recuperar empresas em situação delicada.

Para responsável pela Diplomacia norte-americana fala-se do antigo presidente da câmara de Nova Iorque Rodolph Giuliani. Informação avançada, a um canal de televisão dos EUA, pelo chefe de campanha de Trump.

Reince Priebus, o presidente do Comité Nacional Republicano desde 2011, é apontado como o escolhido para chefe de gabinete da Casa Branca. Ele poderá vir a fazer a ponte entre a presidência e o Congresso.

Trump terá escolhido para seu “estratega e conselheiro sénior” Steve Bannon. O homem a quem a Bloomberg chamou de “o mais perigoso operacional político da América”. Bannon está ligado aos media e à ala mais radical dos conservadores.

Com AFP, Reuters

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Paul Ryan promete trabalhar "lado a lado" com Trump

Trump vence primárias na Carolina do Sul. Nikki Haley promete manter-se na corrida

Trump compara problemas legais à perseguição feita ao opositor russo Alexei Navalny