EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Centenas de migrantes saltam muro em Ceuta

Centenas de migrantes saltam muro em Ceuta
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Segundo a Cruz Vermelha espanhola, só durante a manhã foram atendidos mais de 400 feridos.

PUBLICIDADE

Apesar das mãos ensanguentadas e dos muitos ferimentos, causados pelo arame farpado e pelas quedas, foi com gritos de alegria e vivas a Espanha e à liberdade que centenas de migrantes chegaram esta sexta-feira a solo espanhol, depois de terem saltado o muro que separa Marrocos do enclave espanhol de Ceuta, no norte de África.

Os enclaves espanhóis de Ceuta e Melilha são, para muitos, portas de entrada na Europa, o que levou o governo de Espanha a mandar erguer, em meados da década passada, cercas duplas com seis metros de altura e vários quilómetros de comprimento.

Isso não impediu que, até agora, milhares de migrantes, na maioria vindos da África Subsaariana, tenham saltado as duas cercas. Segundo a Cruz Vermelha espanhola, só durante a manhã foram atendidos mais de 400 feridos.

Entretanto, Marrocos ameaça deixar de controlar os fluxos migratórios, caso não seja resolvido um diferendo agrícola com a União Europeia.

500 migrants cross border into Spanish enclave of Ceuta – many wounded from climbing over fence, shouting “freedom” https://t.co/Hi8lcCtpz6pic.twitter.com/pwr69nhBA8

— Thomson Reuters Fdn (@TR_Foundation) February 17, 2017

#Morocco transmitted today a clear message to #EU that any attempt to undermine the trade agreement will have a catastrophic results#Ceuta

— Anas Mechach (@AnasMechch) February 17, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha recusou autorização para escala a navio que transportava armas para Israel

Vitória socialista nas eleições catalãs põe fim ao domínio pró-independência

Canárias recebem dezenas de migrantes por dia e já duplicaram centros de acolhimento