Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Estado da União": polémicas com Orbán e Gibraltar

"Estado da União": polémicas com Orbán e Gibraltar
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Deve a Hungria governada por Viktor Orbán sair da União Europeia? Uma questão colocada por muitos, incluindo da mesma família política a nível europeu, e que está em destaque no “Estado da União”, programa que passa em revista a atualidade europeia da semana.

Uma das mais recentes ações do líder eurocético húngaro foi lançar um inquérito anti-europeu junto dos cidadãos. Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, expressou sua exasperação: “Esta forma de falar mal de Bruxelas, depois de assinar a Declaração de Roma, diz mais sobre o autor do questionário do que sobre o estado da União Europeia”.

Outra controvérsia entre a Hungria e a União Europeia tem a ver com o acolhimento de refugiados. A Hungria não aceita o sistema de recolocação de refugiados que estão na Grécia e em Itália. Mas noutros países, embora ainda muito longe dos objetivos definidos, o sistema funciona e Sandor Zsiros fez a reportagem no Luxemburgo.

O Brexit continua em destaque: poucos dias depois do início formal do processo, estalou a primeira grande polémica, envolvendo Gibraltar, o enclave britânico no sul da Espanha.

O roteiro para a saída do Reino Unido da União refere que o destino de Gibraltar será sujeito à aprovação do governo de Madrid. Em Londres, alguns fizeram declarações bombásticas, como foi o caso de Michael Howard.

O ex-líder conservador britânico não hesitou em comparar este caso com a guerra das Malvinas, contra a Argentina, atraindo críticas até em Londres.

Agenda da próxima semana:

segunda-feira, 10 de abril: Líderes dos países do Sul da União Europeia discutem o Brexit, em Madrid

quarta-feira, 12 de abril: Christine Lagarde, diretora do FMI, discursa no Centro Bruegel, em Bruxelas

domingo, 16 de abril: referendo na Turquia sobre a reforma do sistema político, que visa dar mais poderes ao Presidente