EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Serviços secretos detêm Leopoldo López e antigo presidente da Câmara de Caracas

Serviços secretos detêm Leopoldo López e antigo presidente da Câmara de Caracas
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Líderes opositores encontravam-se em prisão domiciliária e tinham apelado a novas manifestações.

PUBLICIDADE

O líder opositor venezuelano, Leopoldo López, e o antigo presidente da Câmara Municipal de Caracas e do Distrito Federal, Antonio Ledezma, foram detidos por agentes dos serviços secretos nacionais, o SEBIN, esta quinta-feira.

Ambos se encontravam em prisão domiciliária e tinham apelado a novas manifestações contra o processo de eleição de uma Assembleia Constituinte do presidente Nicolás Maduro.

Mitzy. Por la fuerza a golpes y empujones se llevan a Antonio de nuestra casa. Hacemos responsable al régimen por su vida e integridad!!! pic.twitter.com/69xZ7IqZk0

— Antonio Ledezma (@alcaldeledezma) 1 de agosto de 2017

A família de Antonio Ledezma divulgou imagens captadas com um telemóvel (celular), que mostram o presidente da Câmara Municipal de Caracas a ser levado pelos agentes. António Ledezma, aparenta estar em pijama. A mulher de Leopoldo López, Lilian Tintori, disse, também via rede social Twitter, que o marido tinha sido levado pelas autoridades.

Pelo menos 16 mortos no fim de semana de eleições para a Constituinte

As eleições para a Assembleia Constituinte tiveram lugar este domingo. Um escrutínio boicotado pela oposição e criticado pela Comunidade Internacional, entre acusações de fraude e denuncias de repressão.

12:27 de la madrugada: Momento en el que la dictadura secuestra a Leopoldo en mi casa. No lo van a doblegar! pic.twitter.com/0EdlQvEGXS

— Lilian Tintori (@liliantintori) 1 de agosto de 2017

A Comissão Europeia diz estar preocupada com o destino da democracia no país e diz ter dúvidas sobre a veracidade do processo. O mandato de Maduro tem estado marcado por violentas manifestações contra e a favor do Governo. No fim de semana das eleições, morreram pelo menos 16 pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Venezuela apura 41% de participação nas eleições da Constituinte

Mais de 10 mortos em fim de semana de eleições controversas

Líder da oposição foi libertado mas fica em prisão domiciliária