Última hora
This content is not available in your region

França lidera plano para tributar multinacionais do digital

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva com REUTERS, AFP
euronews_icons_loading
França lidera plano para tributar multinacionais do digital
Tamanho do texto Aa Aa

A França lidera uma proposta para aumentar o pagamento de impostos por partes dos gigantes da economia digital, tais como a Google ou a Amazon.

O tema está na agenda dos ministro das Finanças da União Europeia, reunidos em Talin (capital da Estónia), na sexta-feira e sábado.

“Estou confiante de que, no final da reunião, teremos o apoio de muitos Estados-membros no sentido de participarem da nossa iniciativa em prol de uma melhor estrutura tributária em toda a Europa”, disse Bruno Le Maire, governante francês.


A Rede Europeia da Dívida e do Desenvolvimento, que agrega organizações não-governamentais em defesa de políticas fiscais mais justas, considera o plano pouco ambicioso.

“Infelizmente, a discussão em curso visa apenas um número muito limitado de multinacionais. Isso significa que na maioria dos setores se vai manter o problema que temos tido, mesmo que os ministros estejam de acordo neste ponto. Além disso, vai ser muito difícil que os Estados-membros cheguem a acordo porque vários deles costumam lutar contra quaisquer tentativas de obrigar as multinacionais a pagarem mais impostos”, disse, à euronews, Tove Maria Ryding.


Já a Business Europe, federação de empresas europeias, está preocupada com a perda de competitividade devido a um regime fiscal mais exigente.

“Estamos a falar das multinacionais do setor digital tais como a Apple, a Amazon, a Microsoft e outras empresas sedeadas nos EUA. É um desafio para Europa ter esse tipo de empresas globais, que sejam criadas de raíz na Europa, e temos de desenvolver esse setor. Temos de nos certificar que teremos um sistema tributário que seja bom para a economia em geral mas, em particular, para este setor das empresas digitais”, explicou, à euronews, James Watson.

Alemanha, Itália e Espanha apoiam a proposta, mas Irlanda, Luxemburgo e Malta deverão lutar contra a perda dos benefícios que têm por via de acordos especiais com estas empresas.

Se esta reunião mostrar um maior consenso, o Presidente da França, Emmanuel Macron, deverá levar o assunto para a agenda da cimeira da União Europeia, por forma a obter progressos até ao final do ano.

O governo francês tem sublinhado que esta iniciativa se integra nos esforços em curso por parte da Comissão Europeia e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico no sentido de criar novas regras, de alcance global, para a tributação do setor digital.