Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Comissão Europeia apela ao diálogo entre Madrid e Barcelona

Comissão Europeia apela ao diálogo entre Madrid e Barcelona
Tamanho do texto Aa Aa

O parlamento europeu em Estrasburgo debateu esta quarta-feira a situação na Catalunha à luz dos acontecimentos violentos que marcaram o referendo do fim-de-semana passado. O primeiro vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, apelou ao diálogo como a única forma de ultrapassar o impasse.

“É claro que qualquer governo tem o dever de defender o estado de direito e por vezes tal requer o uso proporcional de força; a União Europeia apelou a todos os atores relevantes para passarem rapidamente do confronto ao diálogo”, disse Timmermans durante a sua intervenção.

Os eurodeputados espanhóis, que não participaram do debate, mostraram diferenças quanto ao papel da união europeia na crise catalã.

“Esta semana poderá haver uma declaração unilateral de independência, o que seria um grave erro do meu ponto de vista, uma vez que poderá dar origem a uma repressão ainda maior por parte do governo de Espanha. Por isso, trata-se de uma situação muito delicada, não é um problema espanhol mas sim um problema europeu e precisamos de uma intervenção da comissão”, afirmou Ernest Urtasun do Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia.

Fora do hemiciclo, tudo aponta para que independentemente da cor política, o caminho em frente é o diálogo e não a ruptura.

O eurodeputado espanhol, Santiago FISAS, do Grupo EPP adiantou, “eu não disse, e eu sou catalão, que governos espanhóis anteriores, sejam socialistas ou Populares, em vários momentos não mostraram a sensibilidade que nós, os catalães, gostariamos de ter visto. Mas a solução não é a ruptura, é o diálogo, mas sempre dentro do enquadramento legal”.

As autoridades da Catalunha anunciaram que o parlamento se irá reunir na segunda-feira.

Ao abrigo do artigo 155 da constituição espanhola, o governo de Madrid pode impor governação direta sobre regiões autónomas.