Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Polanski: Crimes sexuais e a ira de feministas

Polanski: Crimes sexuais e a ira de feministas
Tamanho do texto Aa Aa

Um realizador perseguido por um passado com alegados crimes sexuais sobre menores numa altura em que o assédio na industria cinematográfica está na ordem do dia. Quando a prevista comparência de Roman Polansky se concretizar, esta noite, na “Cinemateque Française” de Paris, para uma homenagem e uma retrospetiva da sua carreira, o realizador franco-polaco terá pela frente uma manifestação organizada por um grupo feminista.

O convite e a homenagem a Polanski suscitou a ira de grupos como o “Osez le Féminisme”, que lançou uma petição contra o evento, organizou um protesto e classificou de reprovável a ação da cinemateca.

Polanski é alvo de uma nova alegação. Terá violado uma menina de 10 anos na década de 70. A atriz Marianne Barnard acusou-o de violação quando era pequena. Diz ter ganho coragem com a onda de indignação e denuncias contra o produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

Polanski é procurado pelas autoridades judiciais norte-americanas há já 40 anos pela violação de uma menor de 13 anos, realizou filmes como o Pianista e Chinatown.